Info

Saramago também é de Cabo Verde que há 20 anos viveu em festa a atribuição do Nobel

| País
Porto Canal com Lusa

Praia, 12 out (Lusa) -- A atribuição do Nobel da Literatura a José Saramago, há 20 anos, foi muito festejada em Cabo Verde, que elegeu o escritor como um dos mais lidos e que ainda hoje desperta o interesse dos leitores cabo-verdianos.

"Até hoje sentimos esta simpatia por Saramago, como se fosse um escritor nosso", disse à agência Lusa Domingos Cardoso, da Santiago Editora.

A propósito do 20.º aniversário do anúncio e entrega do Nobel da Literatura a José Saramago, que se assinala este ano, Domingos Cardoso, ele próprio um leitor de Saramago, disse que os cabo-verdianos, quando se referem à língua portuguesa e aos escritores portugueses, fazem-no como se fossem de Cabo Verde.

"O Nobel foi muito festejado. Existiram muitas manifestações de alegria em Cabo Verde", disse, recordando que acompanhou com grande interesse o discurso de José Saramago, aquando da cerimónia de entrega do Nobel, em 1998.

Uma das consequências deste prémio, a que Domingos Cardoso assistiu, foi o aumento da procura dos livros do autor, nomeadamente nas feiras de livros.

João Spencer, diretor da Livraria Pedro Cardoso, considera que a atribuição do Nobel da Literatura a Saramago foi "um evento muito comemorado" e que mereceu todo o destaque que teve em Cabo Verde.

"Estamos a falar de um escritor que é dos mais vendidos em Cabo Verde, país onde as pessoas leem pouco, mas ainda assim procuram Saramago", afirmou.

Apesar de não ter nenhuma atividade prevista para assinalar a efeméride, no discurso que irá realizar hoje, aquando do lançamento do terceiro número da revista "Leitura", João Spencer pretende destacar a importância deste aniversário, bem como da obra do autor.

Os responsáveis da Rosa de Porcelana Editora, Márcia Souto e Filinto Elísio, consideram que, "para a literatura cabo-verdiana, a escrita de Saramago mantém-se importante e inspiradora".

"O Prémio Nobel não pode deixar de ser encarado pelos autores cabo-verdianos como uma possibilidade que se tem de trabalhar com 'boa literatura' e muita visibilidade literária e cultural de Cabo Verde, especialmente pelo corredor da internacionalização", adiantaram.

Sobre a efeméride, recordaram que, no quadro da extensão em Lisboa da segunda edição do Festival de Literatura-Mundo do Sal, realizou-se um momento de celebração dos 20 anos de atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago, através de uma Leitura Encenada de um trecho de "O Ano da Morte de Ricardo Reis", evento ocorrido na Casa Fernando Pessoa e em parceria com a Fundação José Saramago.

No ano passado, José Saramago foi, a par de Corsino Fortes, o escritor homenageado na primeira edição deste festival.

"Enquanto editores, estamos perfeitamente sintonizados com o assinalar desta data importante para a literatura portuguesa e para todas as literaturas em língua portuguesa".

Márcia Souto e Filinto Elísio aproveitam para saudar o lançamento, sexta-feira do livro "Diário de José Saramago" e do livro escrito pelo "amigo" Ricardo Viel sobre os momentos de entrega desse Nobel há 20 anos, bem como uma exposição na Biblioteca Nacional de Portugal sobre o Nobel da Literatura.

O presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Autores (SOCA), Daniel Spínola, recorda-se perfeitamente do dia do anúncio do Nobel da Literatura para José Saramago.

"Portugal há muito que merecia um Nobel e este foi um feito que deu a possibilidade de Portugal ser mais conhecido no mundo inteiro", disse à Lusa.

Sobre o autor, de quem se assume leitor, Daniel Spínola destaca a escrita, mas também "o percurso de vida, que incluiu algumas polémicas, mas polémicas boas, que esse também é o papel do escritor".

Em Cabo Verde, a atribuição do Nobel provocou alguma curiosidade, pois não sendo este um país de leitores, Saramago - que já era conhecido por escritores -- passou a ser lido por muito mais pessoas.

"O povo quis saber quem era Saramago", afirmou, reconhecendo que este é um escritor com "uma escrita muito particular".

As obras "Ensaio sobre a cegueira" e "Memorial do Convento" são, na opinião de Daniel Spínola, as mais populares de José Saramago em Cabo Verde.

Segundo o presidente da SOCA, são vendidos anualmente cerca de mil livros em Cabo Verde.

O anúncio do Nobel da Literatura para José Saramago aconteceu a 08 de outubro, tendo o galardão sido entregue ao escritor português a 10 de dezembro de 1998.

SMM // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Costa portuguesa sob aviso laranja devido à agitação marítima

Toda a costa de Portugal continental está hoje sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima forte, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Legião da Boa Vontade entrega 800 cabazes de natal em todo o país

A Legião da Boa Vontade vai entregar em todo o país 800 cabazes de natal. Hoje cem famílias carenciadas de braga receberem alimentos e brinquedos.

Em 2018 morreram 37 trabalhadores no sector da construção civil

Este ano morreram 37 trabalhadores no sector da construção civil. As contas são do Sindicato da Construção de Portugal, que admite que em 2019 possam vir a morrer mais trabalhadores, devido ao aumento do trabalho clandestino.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.