Info

Millennium BCP marca Assembleia Geral para 05 de novembro

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 out (Lusa) -- O Millennium BCP marcou para 05 de novembro uma Assembleia Geral extraordinária para alterar os estatutos do banco e ajustá-los a uma diretiva europeia sobre a clarificação do poder deste órgão para decidir a distribuição de dividendos.

Segundo a comunicação feita à Comissão do Mercados de Valores Mobiliários (CMVM), a Assembleia geral decorrerá a 05 de novembro e terá dois pontos de trabalhos: a alteração dos estatutos para os ajustar à diretiva europeia e a recomposição da situação líquida, entre as reservas distribuíveis e as reservas não distribuíveis.

"Reformular as rubricas do capital próprio com a finalidade especial do reforço inequívoco de condições futuras de existência de fundos suscetíveis de qualificação regulatória como distribuíveis, mediante a redução da cifra do capital social em 875.738.053,72 euros, sem alteração do número de ações (sem valor nominal) existentes e sem alteração da situação líquida", lê-se no ponto 2 da ordem de trabalhos.

O presidente executivo do BCP, Miguel Maya, tinha adiantado há duas semanas ao jornal online ECO que estava a "fazer tudo" para voltar a distribuir dividendos já em 2019, algo que não acontece desde 2010 por causa da crise que o banco atravessou nos últimos anos.

SO // SB

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Moody's diz que banca portuguesa deve reduzir rede de agências e tem que melhorar qualidade de ativos

Os bancos portugueses estão no bom caminho, mas devem continuar a melhorar a qualidade dos ativos e reforçar os esforços de reestruturação, nomeadamente em termos da redução da rede de agências, indicaram à Lusa especialistas da Moody's.

Economia cresceu 2,1% em 2018 e ficou abaixo da meta do Governo

O Produto Interno Bruto (PIB) português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo da previsão do Governo de uma expansão de 2,3%, divulgou esta quinta-feira o INE.

Sindicatos dizem que rejeição da abolição de portagens na A23 e A25 demonstra desprezo pelo interior

A União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) afirmou esta terça-feira que a rejeição das propostas para a abolição das portagens na A23 e na A25 é uma "demonstração do desprezo" pelo interior do país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.