Info

Quatro autores e uma associação portuguesa candidatos ao prémio Astrid Lindgren

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 out (Lusa) - Catarina Sobral, Luísa Ducla Soares, Maria Teresa Maia Gonzalez, Bernardo Carvalho e a associação cultural Andante estão nomeados para o prémio literário sueco Astrid Lindgren, foi hoje anunciado na Feira do Livro de Frankfurt, Alemanha.

Com um prémio monetário de cinco milhões de coroas suecas (cerca de 480 mil euros), o Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA) é considerado um dos mais prestigiados prémios internacionais dedicados à literatura e à promoção da leitura.

Para a edição de 2019, entre os 246 candidatos de 64 países estão nomeados cinco candidatos de Portugal, sendo a nomeação uma estreia para a autora e ilustradora Catarina Sobral.

Para os restantes, representa uma nova nomeação ao prémio, embora o ilustrador e autor Bernardo Carvalho tenha sido candidato anteriormente enquanto cofundador do projeto editorial Planeta Tangerina.

Anualmente o júri do prémio seleciona dezenas de candidatos na área da escrita e ilustração para crianças e jovens, mas também estruturas e organizações, como associações não governamentais, editoras ou bibliotecas, que se dediquem à promoção da leitura entre os mais novos.

A par dos cinco candidatos portugueses, estão indicados a escritora brasileira Ana Maria Machado, o ilustrador brasileiro Roger Mello e vários autores com obra publicada em Portugal, como Oliver Jeffers (Reino Unido), Marjane Satrapi (França), Jimmy Liao (Taiwan), Janosch (Alemanha) e Jon Klassen (Canadá).

Este ano o prémio foi atribuído à escritora norte-americana Jacqueline Woodson.

O vencedor do prémio ALMA 2019 será anunciado a 02 de abril.

O prémio, criado pelo governo sueco em homenagem à escritora Astrid Lindgren, foi atribuído pela primeira vez em 2003 ao autor norte-americano Maurice Sendak.

SS // MAG

Lusa/fim

+ notícias: País

Apenas uma das 24 delegações do Instituto de Medicina Legal está a funcionar

Apenas uma das 24 delegações do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) está esta quarta-feira a funcionar e os médicos das delegações de Lisboa, Porto e Coimbra aderiram todos à greve, segundo fonte sindical.

Ordem dos Médicos diz que situação das maternidades "é muito mais grave" do que tem sido falado

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) disse hoje que a situação das maternidades é "muito mais grave e complexa" do que tem vindo a ser falado e defendeu uma política de contratação pública para reter os especialistas.

Funcionários judiciais cumprem primeiro de cinco dias alternados de greve nacional

Os funcionários judiciais realizam esta terça-feira o primeiro de cinco dias alternados de greve em protesto pela integração de um suplemento de 10% no ordenado, estando ainda marcada uma concentração destes profissionais em Lisboa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.