Info

Reunião da bancada do PSD marcada por queixas de "silenciamento" de alguns deputados

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 out (Lusa) -- A reunião do grupo parlamentar do PSD ficou hoje marcada por queixas de "silenciamento" de alguns dos deputados da bancada, que ficaram sem resposta por parte do líder parlamentar Fernando Negrão, que também não falou aos jornalistas no final.

Na reunião à porta fechada, segundo relatos feitos à Lusa, foi a antiga vice-presidente do PSD Teresa Morais que levantou a questão do "silenciamento" a que considera terem sido votados muitos dos deputados da bancada, que não são chamados a intervir em nome do partido, questionando o sentido de tal estratégia, "sobretudo num ano eleitoral, em que o partido precisa de todos".

A ex-ministra do anterior Governo PSD/CDS-PP refutou ainda o que chamou de "tese de conspiração" acerca do grupo parlamentar contra a atual direção do partido, defendendo que há muitos deputados que só querem trabalhar.

Na resposta, Fernando Negrão remeteu a questão da não intervenção de alguns deputados para "uma reflexão" que levaria à direção do partido, o que motivou críticas do anterior líder parlamentar, Hugo Soares.

Hugo Soares considerou que, mais grave que uma deputada sentir que há silenciamento de alguns parlamentares, é tal não ter sido "desmentido categoricamente".

Também a ex-ministra da Justiça Paula Teixeira da Cruz manifestou total concordância com a intervenção de Teresa Morais.

"Há um conjunto de deputados a quem neste momento não é distribuído trabalho e que são manifestamente silenciados", acusou.

No final da reunião da bancada, Fernando Negrão apenas disse "contar com todos".

Ao contrário do habitual, não houve declarações à imprensa no final da reunião.

SMA // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Hospitais privados desconhecem parecer da PGR e contestam devolução de 38M à ADSE

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) diz desconhecer o parecer da PGR favorável à devolução de 38 milhões ao sistema de saúde da função pública (ADSE), contestam esta posição e vão convocar com urgência uma Assembleia Geral.

Governo quer rever condições de acesso ao ensino doméstico

Uma proposta de portaria pretende apertar as regras de frequência para inscrições no ensino doméstico. O número de alunos nesta situação tem vindo a aumentar mas agora o Governo quer rever as condições de acesso.

Governo aprova projetos de expansão dos metros de Porto e Lisboa

O Conselho de Ministros aprovou hoje os projetos de expansão dos metros de Lisboa e do Porto, que em conjunto representam um investimento de 517 milhões de euros, 190 milhões dos quais comparticipados com fundos europeus, segundo o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.