Info

Marcelo envia condolências ao rei de Espanha após mortes causadas por inundações

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 out (Lusa) - O Presidente da República enviou hoje uma mensagem de condolências ao rei Felipe VI de Espanha na sequência das inundações em Maiorca, que já provocaram dez vítimas mortais.

Numa nota colocada no 'site' da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa afirma que "expressou a sua profunda consternação e tristeza com as trágicas consequências resultantes da forte chuva que se abateu sobre a ilha de Maiorca, nomeadamente a perda de vidas humanas e os fortes prejuízos materiais".

Um casal britânico, uma holandesa de 80 anos e seis cidadãos espanhóis morreram nas inundações de terça-feira, segundo as autoridades locais espanholas. A identidade de uma outra vítima continua por confirmar.

Um total de 630 pessoas, incluindo militares, policias, bombeiros, psicólogos e outros profissionais de emergência trabalham no terreno afetado pelas inundações provocadas pelas fortes chuvas no leste de Maiorca.

Segundo as autoridades, a tempestade atingiu níveis nunca vistos naquelas ilhas, tendo-se a intempérie localizado numa estreita faixa de terra, o que levou ao transbordo de um riacho que atravessa a cidade de Sant Llorenc des Cardassar, cerca de 60 quilómetros a leste de Palma de Maiorca.

Na sua mensagem, o chefe de Estado português reitera a sua "solidariedade para com todos os espanhóis neste momento difícil".

ZO (SO/FPB) // SB

Lusa/fim

+ notícias: Política

Tenente-general José Nunes da Fonseca novo chefe do Estado-Maior do Exército

O tenente-general José Nunes da Fonseca será o novo chefe do Estado-Maior do Exército, tendo o seu nome recebido parecer favorável por unanimidade do Conselho Superior do Exército, anunciou hoje o primeiro-ministro, António Costa, em Bruxelas.

Governo quer proibir o uso de plásticos na Administração Pública

O Governo quer proibir o uso de plásticos na Administração Pública. O Conselho de Ministros aprovou uma medida para reduzir o consumo de papel e plástico em 25% num ano.

Portugueses mais distantes dos partidos abstêm-se mais

Os portugueses estão cada vez mais alheados e distantes dos partidos políticos e é este grupo com menos vontade de votar, conclui um estudo a ser divulgado hoje pelo “think tank” Portugal Talks.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.