Info

Municípios do Douro avançam com providência cautelar contra os CTT

Municípios do Douro avançam com providência cautelar contra os CTT
| Norte
Porto Canal com Lusa

A Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro) apresentou no Tribunal Administrativo de Mirandela uma providência cautelar de intimação aos CTT para que não feche estações institucionais, reduza horários de funcionamento ou contratualize serviços com terceiros.

A CIM Douro, que agrega 19 municípios, informou hoje, em comunicado, que a providência cautelar foi apresentada na quarta-feira e surge da "ausência de resposta" dos CTT ao pedido de reunião urgente e à "continuada intenção de proceder à extinção de estações de correio, transformando-as em meros postos com serviços contratualizados.

De acordo com a comunidade intermunicipal, a administração dos CTT tem manifestado vontade de encerrar os balcões institucionais em algumas sedes destes concelhos durienses.

É o caso de, por exemplo, Mesão Frio, Murça ou Tabuaço.

Com esta providência cautelar de intimação, a CIM pretende que a administração dos CTT "se abstenha de adotar qualquer conduta, ativa ou omissiva, que tenha por efeito prático a redução do horário de funcionamento, a extinção de estações ou a transformação ou substituição das estações por postos de Correio".

Quer ainda que se "abstenha de conduzir qualquer reorganização dos serviços que presta à comunidade sem que a CIM Douro seja previamente consultada".

Os municípios durienses consideram que o fecho dos balcões institucionais se traduz na "redução de serviços prestados à população, impossibilitando-a de usufruir de um serviço postal de qualidade, constituindo uma violação clara e manifesta da lei, das bases da concessão do contrato de concessão e das deliberações do regulador".

+ notícias: Norte

Familiares dos reclusos da Custóias contestam os horários das visitas de natal

Os familiares dos reclusos da Custóias protestaram esta quarta-feira à tarde junto ao estabelecimento prisional. Em causa estão as visitas e o almoço no dia de Natal que estão comprometidas devido à greve dos guardas prisionais.

Habitantes culpam Estado por avanço do mar em Esposende

Os habitantes de Cedovém, Esposende, responsabilizam o Estado pelo avanço do mar e a erosão da costa que servem agora de argumento para a prevista demolição, no novo plano da Orla Costeira Caminha--Espinho, de 34 edifícios naquela zona.

Vila Nova de Gaia e Gondomar querem unir concelhos com nova ponte

Gaia e Gondomar estão a estudar a construção de uma ponte que vai unir os dois concelhos. O projecto da nova ponte no Douro vai custar 80 milhões de euros e deverá ser apresentada ao Ministério do Planeamento e Infra-estruturas nos próximos meses.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.