Info

Acesso de zona empresarial de Paredes de Coura à A3 lançado a concurso por 9,5 ME

| Norte
Porto Canal com Lusa

Paredes de Coura, Viana do Castelo 10 out (Lusa) - A requalificação da ligação do parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à autoestrada A3 (nó de Sapardos) vai ser lançada, na quinta-feira, a concurso público por 9,5 milhões de euros, disse hoje fonte da Infraestruturas de Portugal.

Em causa está a criação de um acesso rodoviário, reclamado há vários anos, com cerca de 8,8 quilómetros de extensão, para ligar o parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à A3, (nó de Sapardos - Vila Nova de Cerveira), no distrito de Viana do Castelo.

Contactada pela agência Lusa, fonte da empresa Infraestruturas de Portugal (IP) adiantou que o concurso público vai ser publicado, na quinta-feira, em Diário da República.

A cerimónia de lançamento daquele procedimento está agendada para quinta-feira pelas 15:20, na sede da empresa Fly London, do grupo Kyaia - maior empregador do concelho - com a presença prevista do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

Segundo a fonte da IP, a empreitada "visa a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança" naquele troço e envolve a execução de "quatro novas rotundas para beneficiação das condições de mobilidade na ligação à rede viária local, a construção de oito obras de arte e de uma ponte sobre o Ribeiro das Corredouras".

A obra agora a lançar a concurso público inclui a construção de dois pontões, sobre a Ribeira de Sapardos e sobre a Ribeira de Borzendes, de duas passagens agrícolas, duas passagens inferiores e uma passagem superior para peões".

A construção daquela ligação faz parte do Programa de Valorização das Áreas Empresariais lançado pelo Governo, em fevereiro de 2017.

Há vários anos que autarcas e empresários da região vêm reclamando a construção daquele acesso para promover a competitividade das empresas instaladas naquela zona empresarial, com mais de 25 hectares, como por exemplo o Grupo Kyaia, empresa portuguesa do sector do calçado, detentora das marcas Fly London e Foreva), implantada em Paredes de Coura há mais de 25 anos com 250 trabalhadores.

Ainda a Doureca, do Grupo Dourdin, do setor automóvel que dispõe de duas unidades fabris de produção e que emprega cerca de 300 trabalhadores, a ValverIbérica e a ValverPortugal, que produzem artigos plásticos e acessórios para a indústria automóvel, com 100 trabalhadores e o grupo Transcoura, que emprega 130 pessoas.

ABYC//LIL

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Greve paralisou Metro do Porto com adesão de "98 a 99%"

A greve desta segunda-feira dos "cerca de 200" profissionais da ViaPorto ao serviço da Metro do Porto teve uma "adesão entre os 98% e os 99%", levando a uma paralisação quase total, segundo o sindicato.

Todas as corporações de bombeiros de Bragança aderiram ao protesto da Liga

O presidente da Federação Distrital dos Bombeiros de Bragança, Diamantino Lopes, adiantou hoje que todas as corporações de bombeiros desta região aderiram ao protesto da Liga, escusando-se a responder e reportar à Proteção Civil.

Estações vazias e autocarros cheios marcam manhã de greve do metro em Gaia

Estações desertas, mais táxis a circular e autocarros cheios é o cenário nesta segunda-feira de manhã em Vila Nova de Gaia, um dos pontos mais requisitados para o acesso ao Porto, em dia de greve do metro.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.