Info

Fiscalização do IVDP apreendeu 17 toneladas de uvas de trânsito ilegal no Douro

| Norte
Porto Canal com Lusa

Vila Real, 09 out (Lusa) - O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) realizou quatro apreensões de cerca de 17 toneladas de uvas que terão entrado ilegalmente no Douro, durante a operação de fiscalização que decorre nesta vindima, divulgou hoje aquela entidade.

As ações de fiscalização e controlo do instituto público decorrem durante todo o ano, mas intensificam-se durante a época de vindimas naquela que é a mais antiga região demarcada e regulamentada do mundo.

O presidente do IVDP, Manuel de Novaes Cabral, fez hoje um balanço provisória da operação de fiscalização, numa altura em que as vindimas se aproximam no final.

"Este ano, de uma vindima atípica e perspetivas de uma menor produção, nós aumentamos as brigadas de fiscalização. Praticamente duplicamos as brigadas de fiscalização para os 12 elementos e seis viaturas, em relação ao ano passado", afirmou aos jornalistas.

De acordo com o responsável, até este momento, os fiscais do IVDP fizeram quatro apreensões, de cerca de 17 toneladas de uvas de trânsito ilegal, ou seja, que terão entrado de forma ilegal na região.

Os processos foram remetidos para o Ministério Público (MP).

No ano passado, segundo Manuel Cabral, foi realizada uma apreensão.

"A nossa atitude, para além de ser permanente na fiscalização da vinha e do vinho, centra-se sobretudo na dissuasão. Os nossos fiscais fazem dezenas de milhares de quilómetros durante a vindima. Andam permanentemente a visitar os centros de vinificação e a verificar o trânsito, a circulação de uvas em particular", afirmou.

O presidente do IVDP ressalvou que "não é ilegal haver trânsito de uvas", desde "que haja um acompanhamento dessas mesmas uvas por parte das entidades reguladoras".

As uvas que entram no Douro de outras regiões não podem é dar lugar a vinhos com denominação de origem.

Logo no início da vindima, referiu, as brigadas fizeram o acompanhamento de uvas para fora da região, e, entretanto, um camião que vinha de fora do Douro foi acompanhado pelos fiscais, acabando, depois, por descarregar num centro de vinificação também fora da região.

Ainda de acordo com o responsável, em ações de fiscalização prévias à vindima foram selados cerca de 200 mil litros de vinho.

Este vinho está a ser analisado e, se comprovar a existência de irregularidades, serão levantados os respetivos autos de contraordenação.

O IVDP trabalha em articulação com a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), a GNR e as regiões vitícolas limítrofes, como os vinhos Verdes e o Dão.

No Douro existem 1.500 centros de vinificação, dos quais 500 são de maior volume.

A região prevê uma quebra de produção nesta vindima que poderá ser superior aos 30%.

O ano prometia uma boa produção, no entanto, os meses de junho e julho foram chuvosos, criando condições para a propagação do míldio, um fungo que pode infetar todos os órgãos verdes da planta -- folhas, cachos e pâmpanos.

Às doenças juntou-se o granizo e, no início de agosto, um escaldão provocado pelo calor, que secou o fruto.

PLI // LIL

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Greve paralisou Metro do Porto com adesão de "98 a 99%"

A greve desta segunda-feira dos "cerca de 200" profissionais da ViaPorto ao serviço da Metro do Porto teve uma "adesão entre os 98% e os 99%", levando a uma paralisação quase total, segundo o sindicato.

Todas as corporações de bombeiros de Bragança aderiram ao protesto da Liga

O presidente da Federação Distrital dos Bombeiros de Bragança, Diamantino Lopes, adiantou hoje que todas as corporações de bombeiros desta região aderiram ao protesto da Liga, escusando-se a responder e reportar à Proteção Civil.

Estações vazias e autocarros cheios marcam manhã de greve do metro em Gaia

Estações desertas, mais táxis a circular e autocarros cheios é o cenário nesta segunda-feira de manhã em Vila Nova de Gaia, um dos pontos mais requisitados para o acesso ao Porto, em dia de greve do metro.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.