Info

Primeiro-ministro diz que ministro da Defesa é um "ativo importante"

| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, reiterou esta segunda-feira confiança política no ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, considerando que é um "ativo importante" no Governo.

Atualizado 09-10-2018 15:57

"A visita está marcada há bastante tempo, mas a confiança também está manifestada há bastante tempo", disse António Costa, acrescentando que a confiança no ministro da Defesa está "inalterada" desde que o Governo assumiu funções em novembro de 2015.

O primeiro-ministro respondia aos jornalistas no final de uma visita à Base Aérea n.º 5, em Monte Real, Leiria, a primeira que o chefe de Governo realiza ao ramo.

Ao lado do ministro da Defesa Nacional, que fez saber que não responderia a perguntas, António Costa recusou que Azeredo Lopes seja "um problema" neste momento para o executivo devido aos desenvolvimentos das investigações ao furto e recuperação de material militar de Tancos.

"Pelo contrário, é, como todos os membros do Governo, um ativo importante. O Governo funciona em equipa e todos somos um ativo para que o Governo continue a desempenar as suas funções", disse.

Instado a comentar as críticas daqueles que consideram que a posição do ministro está fragilizada, António Costa respondeu: "Quando o Dr. Marques Mendes for primeiro-ministro, decidirá quem são os membros do Governo. Enquanto for eu primeiro-ministro, sou eu que decido".

"Não creio que o Dr. Marques Mendes esteja na iminência de ser primeiro-ministro nem eu de ser comentador", ironizou, negando ainda que esteja prevista "alguma alteração" quanto à permanência do ministro da Defesa no Governo.

O comentador político Marques Mendes defendeu, no domingo, no seu espaço de opinião na SIC, que o ministro da Defesa deveria "sair ou ser convidado a sair" por ser "um ministro sob suspeita" no caso de Tancos.

+ notícias: Política

Hospitais privados desconhecem parecer da PGR e contestam devolução de 38M à ADSE

A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) diz desconhecer o parecer da PGR favorável à devolução de 38 milhões ao sistema de saúde da função pública (ADSE), contestam esta posição e vão convocar com urgência uma Assembleia Geral.

Governo quer rever condições de acesso ao ensino doméstico

Uma proposta de portaria pretende apertar as regras de frequência para inscrições no ensino doméstico. O número de alunos nesta situação tem vindo a aumentar mas agora o Governo quer rever as condições de acesso.

Governo aprova projetos de expansão dos metros de Porto e Lisboa

O Conselho de Ministros aprovou hoje os projetos de expansão dos metros de Lisboa e do Porto, que em conjunto representam um investimento de 517 milhões de euros, 190 milhões dos quais comparticipados com fundos europeus, segundo o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.