Info

Médicos vão reunir-se para alertar sobre caos nos serviços de urgência no inverno

Médicos vão reunir-se para alertar sobre caos nos serviços de urgência no inverno
| País
Porto Canal com Lusa

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) e a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) vão reunir-se a 13 de outubro, em Lisboa, para alertar para o "caos nos serviços de urgência quando começa o inverno”.

Num comunicado conjunto hoje divulgado, a SPMI e a APMGF dizem estar preocupadas com a chegada do inverno, sustentando que, "o recurso dos portugueses às urgências hospitalares é o dobro da média dos Países da OCDE" - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

“Nos últimos anos, tem-se vindo a acentuar a tendência do recurso ao serviço de urgência hospitalar, em detrimento da procura dos cuidados primários de saúde. Esta procura crescente faz com que as urgências hospitalares estejam sempre a trabalhar nos limites da eficiência e leva à ocorrência de múltiplas horas de espera no atendimento", alerta, no comunicado, João Araújo Correia, presidente da SPMI.

Segundo o especialista, esta situação "ultrapassa, em muito, as recomendações da Triagem de Manchester, comprometendo a segurança dos doentes e dos profissionais".

“Era bom que houvesse a coragem política para fazer a publicitação de um circuito obrigatório para o doente agudo não emergente, que indicasse a necessidade do recurso primário ao Centro de Saúde, sendo garantido, o acesso fácil em horário alargado”, defende.

Considera ainda que “também são necessárias alterações significativas no financiamento dos Hospitais e dos Centros de Saúde, dando incentivos diferenciados ao tratamento do doente agudo, de acordo com a missão natural de cada um".

As duas entidades esperam que, desta reunião conjunta, possa ser produzido um documento consensual, a ser divulgado publicamente, e enviado ao Ministério da Saúde, à Direção-Geral da Saúde e às Administrações Regionais de Saúde.

A SPMI considera que o incremento das relações entre a Medicina Interna e a Medicina Geral e Familiar “é uma condição fundamental para haver reais melhorias na eficiência do Serviço Nacional de Saúde”.

Nesta linha de cooperação, em março de 2018, a SPMI e a APMGF assinaram um memorando de intenções, que elenca muitas áreas de cooperação entre as duas especialidades, e abre a possibilidade da realização de consensos, que possam servir de base aos decisores políticos.

+ notícias: País

Associação da GNR diz que agressões a militares em serviço estão a aumentar

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) lamentou este sábado que o Governo "ainda não tenha considerado" os polícias como uma profissão de risco, sublinhando que cada vez mais os militares da GNR são agredidos em serviço.

Incêndio em Oiã, Aveiro, provoca quatro feridos

Um incêndio numa fábrica de bicicletas na freguesia de Oiã, Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro, causou este sábado quatro feridos, entre eles um bombeiro, disse à agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Falta de pagamento do Estado aos hospitais privados põe em causa cirurgias

Os hospitais privados ameaçam parar de fazer cirurgias aos doentes enviados pelo Serviço Nacional de Saúde caso o Estado continue a demorar tanto tempo a pagar. Já há médicos a recusar-se a operar uma vez que depois têm de esperar mais de dois anos para receber.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.