Info

Incêndio Sintra/Cascais provoca 21 feridos ligeiros

Incêndio Sintra/Cascais provoca 21 feridos ligeiros
| País
Porto Canal com Lusa

O incêndio que deflagrou no sábado à noite em Sintra, e que alastrou entretanto a Cascais, já provocou 21 feridos ligeiros, entre os quais duas dezenas de operacionais e um civil, adiantou a Proteção Civil cerca das 13:00.

De acordo com o comandante distrital de Lisboa da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), André Fernandes, o incêndio, que entretanto foi dado como dominado, provocou até ao momento "um total de 21 vítimas".

Falando no 'briefing' que decorreu cerca das 13:00, nos Paços do Concelho de Cascais, o comandante precisou que entre as vítimas estão "10 operacionais e um civil" que foram levados a uma unidade hospitalar, "tudo com ferimentos ligeiros relacionados com traumas oculares e traumas também nos membros inferiores, entorses e alguma luxações".

Já a vítima civil teve "queimaduras de primeiro e segundo grau, em menos de 10% do corpo", mas entretanto "já teve alta e já está no seu domicílio", acrescentou.

A estes, juntam-se "10 bombeiros assistidos no teatro de operações, que não tiveram de ser deslocados e que voltaram ao combate", adiantou André Fernandes aos jornalistas.

O incêndio deflagrou no sábado, pelas 22:50, na Peninha, na serra de Sintra, distrito de Lisboa, e alastrou depois ao concelho de Cascais. Foi dominado pelas 10:45 de hoje.

Cerca de 300 pessoas foram retiradas do parque de campismo de Cascais e outras 47 foram levadas de suas casas, localizadas em toda a área do incêndio.

+ notícias: País

Ordem dos Enfermeiros abandona Convenção Nacional de Saúde

A Ordem dos Enfermeiros decidiu abandonar a Convenção Nacional de Saúde por considerar que o seu propósito já foi cumprido e que a hora é de agir, uma vez que a reflexão sobre o setor está feita.

Ordem dos Médicos diz que populações do Interior não têm o mesmo acesso aos cuidados de saúde

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), Carlos Cortes, criticou esta segunda-feira que as pessoas do interior não tenham o mesmo acesso à saúde do que os utentes do litoral.

Infarmed manda retirar lotes de medicamento para hipertensão da Mylan e AIM Teva

A Autoridade Nacional do Medicamento determinou a retirada do mercado de vários lotes de medicamentos contendo a substância ativa valsartan, usada no tratamento da tensão arterial elevada, produzidos pelos fabricantes AIM Teva e Mylan.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.