Info

António Costa diz que não vê nenhuma razão para alterar a confiança no Ministro da Defesa

António Costa diz que não vê nenhuma razão para alterar a confiança no Ministro da Defesa
| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu hoje que mantém a confiança no ministro da Defesa, Azeredo Lopes, considerando que, sobre o caso de Tancos, "falta muita coisa esclarecer, desde logo a captura dos ladrões".

À chegada para as comemorações do 05 de Outubro, que decorrem esta manhã na praça do município, em Lisboa, António Costa foi questionado pelos jornalistas sobre se mantinha a confiança em Azeredo Lopes, depois de notícias que dão conta que o ministro da Defesa foi informado do encobrimento de factos no caso da recuperação do material militar furtado nos paióis em Tancos, entretanto já desmentidas pelo governante.

"Quer o senhor ministro da Defesa Nacional, quer o tenente general Martins Pereira, que era então seu chefe de gabinete, já fizeram um desmentido absolutamente categórico de notícias que têm vindo a lume de factos que lhe teriam sido imputados. Não vejo nenhuma razão para alterar essa confiança", assegurou.

António Costa admitiu, contudo, que existem ainda questões por esclarecer.

"Com certeza falta muita coisa esclarecer, desde logo a captura dos ladrões", disse.

+ notícias: Política

Tancos: Presidente da República garante desconhecer factos sobre reaparecimento das armas

O Presidente da República garantiu este sábado à Agência Lusa desconhecer os factos na base do desaparecimento e reaparecimento das armas de Tancos, recordando que tem insistido na exigência do esclarecimento de "toda a verdade, doa a quem doer".

Câmara de Vila Real lança segunda-feira campanha sobre perigo na A24

A Câmara de Vila Real disse que vai colocar painéis nas entradas da Autoestrada 24 (A24) para alertar os automobilistas para os “perigos e falhas” da via, uma iniciativa apoiada pela Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro).

Mário Centeno diz que eleitoralismo do PS foi cumprir todas as metas

O ministro das Finanças, Mário Centeno, considerou esta sexta-feira que o eleitoralismo do PS na proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) foi cumprir todas as metas e promessas, que se traduzem na estabilização do sistema financeiro português.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.