Info

Médicos alertam para doentes prejudicados com mais burocracia na emissão de receitas

Médicos alertam para doentes prejudicados com mais burocracia na emissão de receitas
| País
Porto Canal com Lusa

A Ordem dos Médicos avisa que está a agravar-se a "burocracia informática" que envolve a emissão de receitas médicas sem papel, considerando que está a ser prejudicado o tempo de consulta a dedicar ao doente.

Segundo o bastonário dos Médicos, Miguel Guimarães, os serviços do Ministério da Saúde responsáveis pela gestão dos sistemas informáticos emitiram uma circular na qual é solicitado aos médicos mais um procedimento a executar na emissão das receitas médicas.

É pedido aos médicos um "procedimento informático extra", que passa por informar um 'helpdesk' sobre a falência do sistema informático para que seja gerado um número de código que devem incluir quando na receita manual quando não é possível passar uma receita eletrónica.

Segundo a Ordem, quando há um problema informático que impossibilita passar uma receita eletrónica, os médicos estão a ser obrigados a colocar na receita manual um código numérico que é o indicador da falha informática.

Em declarações à agência Lusa, o bastonário Miguel Guimarães explica que esse código nem sempre é fácil de encontrar, levando a que os médicos "percam muito tempo" a ligar para um 'helpdesk'.

"Faz perder muito tempo. Às vezes pode levar uma, duas ou três horas. Isto é trabalho burocrático, não é trabalho médico", sublinha o bastonário, indicando que já escreveu aos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) sobre este assunto, mas que ainda não recebeu qualquer resposta.

Miguel Guimarães não tem dúvidas de que "isto está a ter repercussões negativas na atividade médica", apontando para uma excessiva burocratização informática que "prejudica o trabalho dos médicos e a relação médico/doente".

"Isto não é aceitável. Isto é para cair. Não é forma de funcionamento", afirma,

Os médicos entendem que as novas exigências na emissão de receitas médicas "complicam um processo burocrático e administrativo" que é já excessivo e "roubam tempo útil à observação do doente", segundo a presidente do colégio de especialidade de medicina geral e familiar, Isabel Santos.

O bastonário considera até que "qualquer alteração nos sistemas informáticos" devia ser "acompanhada, no terreno, por médicos", que experimentassem a sua viabilidade.

+ notícias: País

Procuradoria-Geral da República diz que paralisação dos enfermeiros é ilegal por não corresponder ao pré-aviso

A Procuradoria-Geral da República considerou a greve dos enfermeiros ilegal por não corresponder ao pré-aviso e porque o fundo usado para compensar a perda de salário não foi constituído nem gerido pelos sindicatos que decretaram a paralisação.

Alterações climáticas vão gerar verões tempestuosos e abafados

As alterações climáticas estão a mudar a energia na atmosfera, levando a verões mais tempestuosos, mas também a longos períodos quentes e abafados, com implicações na qualidade do ar, segundo um estudo hoje divulgado.

Mais de 950 registos de violência contra profissionais de saúde só no ano passado

Mais de 950 casos de incidentes de violência contra profissionais de saúde foram registados só no ano passado, ficando 2018 como aquele em que mais episódios foram notificados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.