Info

Possível mão criminosa em fogo já em resolução em Oliveira de Azeméis

Possível mão criminosa em fogo já em resolução em Oliveira de Azeméis
| País
Porto Canal com Lusa

O comandante dos Bombeiros de Oliveira de Azeméis disse esta quinta-feira suspeitar que o incêndio que deflagrou em Valmadeiros, em Oliveira de Azeméis, na quarta-feira à tarde, e que se encontra em resolução, teve mão criminosa.

Em declarações à Lusa, o comandante Paulo Vitória disse que tem havido “pequenas tentativas” de fogo posto nesta zona.

“Quase diariamente, andamos aqui na zona de Valmadeiros e na zona de Vilar atrás do fogo e de quem o mete”, disse o comandante dos Bombeiros de Oliveira de Azeméis.

O fogo que deflagrou pelas 14h49 de quarta-feira na localidade de Valmadeiros, na União de Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, distrito de Aveiro, está em fase de resolução, mantendo-se no local mais de 200 bombeiros em operações de rescaldo e vigilância.

“O incêndio foi dado como dominado cerca das 05h00. Temos todo o perímetro extinto. Estamos com meios terrestres nas zonas onde nos inspiram maiores cuidados e estamos a fazer algum arrefecimento de alguns pontos quentes”, disse Paulo Vitória.

O mesmo responsável realçou ainda que, até ao momento, não houve casas atingidas pelas chamas, nem vítimas a lamentar.

“Neste momento, a encosta principal ainda não está a ser atingida pelo calor. Por volta do meio dia, quando estivermos com o sol na vertical, vamos ter toda a zona queimada aquecida e, nessa altura, poderemos ter alguma alteração”, disse o comandante Paulo Vitória, adiantando que há meios aéreos disponíveis para levantar em caso de necessidade.

Paulo Vitória esclareceu ainda que este incêndio ganhou maiores proporções devido ao vento que se fazia sentir e a “uma grande dispersão de meios", porque simultaneamente houve várias ocorrências.

Pelas 10h00, de acordo com a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, estavam no local 231 operacionais e 72 viaturas.

+ notícias: País

Associação da GNR diz que agressões a militares em serviço estão a aumentar

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) lamentou este sábado que o Governo "ainda não tenha considerado" os polícias como uma profissão de risco, sublinhando que cada vez mais os militares da GNR são agredidos em serviço.

Incêndio em Oiã, Aveiro, provoca quatro feridos

Um incêndio numa fábrica de bicicletas na freguesia de Oiã, Oliveira do Bairro, distrito de Aveiro, causou este sábado quatro feridos, entre eles um bombeiro, disse à agência Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Falta de pagamento do Estado aos hospitais privados põe em causa cirurgias

Os hospitais privados ameaçam parar de fazer cirurgias aos doentes enviados pelo Serviço Nacional de Saúde caso o Estado continue a demorar tanto tempo a pagar. Já há médicos a recusar-se a operar uma vez que depois têm de esperar mais de dois anos para receber.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.