Info

Uma das três frentes do fogo em Oliveira de Azeméis foi dominada

Uma das três frentes do fogo em Oliveira de Azeméis foi dominada
| País
Porto Canal com Lusa

Uma das três frentes do incêndio que deflagra em Valmadeiros, Oliveira de Azeméis, desde quarta-feira à tarde, foi dominada, disse esta quinta-feira à Lusa o comandante dos bombeiros de Oliveira de Azeméis.

“Uma das três frentes já está dominada e em fase de rescaldo e o combate ao incêndio está a decorrer favoravelmente”, disse à Lusa a mesma fonte.

“A humidade que se tem sentido à noite”, tem ajudado os bombeiros, afirmou.

De acordo com os bombeiros de Oliveira de Azeméis o fogo está a ser combatido por cerca de 300 operacionais.

O incêndio começou em Valmadeiros, numa zona florestal, na União de Freguesias de Pinheiro da Bemposta, Travanca e Palmaz, e, pelas 19h50, estavam no local 297 bombeiros, apoiados por 92 viaturas.

O alerta para o incêndio em povoamento florestal, na localidade de Valmadeiros, no distrito de Aveiro, foi dado cerca das 14h49.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro disse à Lusa que no combate ao incêndio estão envolvidas várias corporações do distrito e foi acionado um grupo de reforço de Lisboa.

+ notícias: País

Procuradoria-Geral da República diz que paralisação dos enfermeiros é ilegal por não corresponder ao pré-aviso

A Procuradoria-Geral da República considerou a greve dos enfermeiros ilegal por não corresponder ao pré-aviso e porque o fundo usado para compensar a perda de salário não foi constituído nem gerido pelos sindicatos que decretaram a paralisação.

Alterações climáticas vão gerar verões tempestuosos e abafados

As alterações climáticas estão a mudar a energia na atmosfera, levando a verões mais tempestuosos, mas também a longos períodos quentes e abafados, com implicações na qualidade do ar, segundo um estudo hoje divulgado.

Mais de 950 registos de violência contra profissionais de saúde só no ano passado

Mais de 950 casos de incidentes de violência contra profissionais de saúde foram registados só no ano passado, ficando 2018 como aquele em que mais episódios foram notificados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.