Info

Tancos: Ministro da Defesa assegura que "não faz sentido nenhum" demitir-se

Tancos: Ministro da Defesa assegura que "não faz sentido nenhum" demitir-se
| Política
Porto Canal com Lusa

O ministro da Defesa considerou esta quina-feira que o pedido de demissão do CDS "não faz sentido nenhum", e constituiu "uma espécie de 'bullying' político", mas disse encarar "com normalidade" a constituição de uma comissão de inquérito sobre Tancos.

"Neste caso, já tenho um bocadinho a pele dura, porque o CDS pede a minha demissão desde 03 de julho de 2017. Ao fim de um ano, três meses e dois dias, já criei alguma resistência. Sem querer fazer ironia, acho que não faz sentido nenhum. Se tivesse sentido, obviamente já teria apresentado a minha demissão, não tenho apego a cargos que não me leve a ter a lucidez de analisar o que faço", sustentou.

Azeredo Lopes pronunciava-se, à margem da reunião dos ministros da Defesa da NATO em Bruxelas, sobre a proposta de comissão parlamentar de inquérito ao furto de armas em Tancos para apurar responsabilidades políticas do Governo, quem falhou e por que falharam as medidas de segurança, com os centristas a defenderem também a demissão do ministro.

"Que fique muito claro: aquilo que o CDS pede, pede legitimamente. É um partido político, está a fazer oposição, considera que eu devo demitir-me, por isso encaro isso sem quaisquer 'hard feelings', sem críticas pessoais, embora às vezes até pareça uma espécie de 'bullying' político", observou, acrescentando encarar "com toda a normalidade" a constituição de uma comissão de inquérito.

+ notícias: Política

Marcelo promulga com dúvidas salário mínimo de 635,07 euros na função pública

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta segunda-feira, embora expressando dúvidas sobre esta opção política, o decreto do Governo que atualiza de 580 para 635,07 euros o salário mínimo pago na função pública.

Ministro diz que Governo reconhece muitas sugestões da OCDE mas não tem de as seguir

O ministro Adjunto e da Economia afirmou esta segunda-feira que o Governo reconhece muitos dos problemas e sugestões apresentadas pela OCDE, mas frisou que são propostas da instituição que o executivo "não tem necessariamente que seguir".

Atualizado 19-02-2019 12:29

PSD vota a favor da moção de censura ao Governo do CDS-PP

O PSD vai votar a favor da moção de censura ao Governo apresentada pelo CDS-PP, apesar de considerar que "não tem qualquer efeito prático", revelou esta segunda-feira à Lusa o Grupo Parlamentar social-democrata.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS