Info

Número de beneficiários de prestações de desemprego caiu 9% em agosto

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 24 set (Lusa) - O número de beneficiários de prestações de desemprego foi de 169.044 em agosto, mais 0,4% face ao mês anterior, mas menos 8,9% comparando com o mesmo período de 2017, revelam as estatísticas mensais da Segurança Social.

De acordo com os dados publicados pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, foram atribuídos em agosto 137.653 subsídios de desemprego, uma subida de 1,7% face a julho de 2018 e uma descida de 8% (menos 12.026 desempregados) face a agosto de 2017.

Já o subsídio social de desemprego inicial caiu 0,3% face ao mês anterior e 12% em termos homólogos, chegando a 6.230 beneficiários, enquanto o subsídio social de desemprego subsequente abrangeu 21.381 pessoas, menos 3,5% relativamente ao mês anterior e menos 20,4%, considerando agosto do ano passado.

O valor médio das prestações de desemprego foi de 492,41 euros em agosto, um acréscimo de 1,1% face a julho e de 5,8% face ao mês homólogo.

A medida extraordinária de apoio aos desempregados de longa duração em agosto integrou 4.550 indivíduos, uma redução de 15,5% face a julho, mas um aumento homólogo de 65,3% (mais 1.798 pessoas), explicado pela "redução do período de elegibilidade de 360 para 180 dias", previsto na Lei do Orçamento do Estado para 2018.

Esta medida consiste na atribuição de uma prestação mensal de valor igual a 80% do montante do último subsídio social de desemprego recebido, durante 180 dias.

Os dados mostram ainda que, em agosto, os subsídios por doença aumentaram 0,9% face a julho e 36,6% comparando com o mês homólogo, contabilizando-se 139.412 baixas. As mulheres representam 59,4% do total das baixas por doença.

Quanto às pensões de velhice, registaram-se em agosto mais 2.233 pensões do que em julho, um acréscimo de 0,1%, e mais 4.004 face ao mesmo mês do ano passado, totalizando 2.039.127.

DF // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Ministro das Infraestruturas afirma que se acordo sobre cargas e descargas "não funcionar o Governo vai ter que intervir"

O ministro das Infraestruturas deixa claro que se o acordo assinado entre Governo, patrões e sindicatos para regular as operações de cargas e descargas não funcionar, o Governo vai mesmo intervir. Pedro Nuno Santos destaca que caso mais grave é o da grande distribuição.

Mais de 100 autarquias vão ter que devolver IMI dos parques eólico e município de Montalgre pede alternativa para cobrir perdas

O presidente da Câmara de Montalegre voltou a lamentar a decisão dos tribunais que consideraram ser cobrança indevida do Imposto Municipal Sobre Imóveis aos parques eólico. A situação vai obrigar as autarquias a devolver o dinheiro até agora recebido o que significa um grande corte no orçamento.

 

Trabalhadores precários manifestaram-se no Porto por aumentos salariais

Esta sexta-feira de manhã houve no Porto um protesto contra a precariedade dos trabalhadores das empresas do comércio que contou com o apoio da CGTP.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.