Info

Marcelo reúne-se com Guterres em Nova Iorque antes da Assembleia Geral da ONU

Marcelo reúne-se com Guterres em Nova Iorque antes da Assembleia Geral da ONU
| Política
Porto Canal com Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, viaja este domingo para Nova Iorque, onde se vai reunir com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, antes da 73.ª sessão da Assembleia Geral desta organização.

O encontro está marcado para hoje ao fim da tarde, já madrugada de segunda-feira em Lisboa, no gabinete do secretário-geral das Nações Unidas, em vésperas do debate geral anual desta organização, no qual Marcelo Rebelo de Sousa irá discursar pela segunda vez, na quarta-feira.

Segundo o programa divulgado pela Presidência da República, na segunda-feira o chefe de Estado participa e intervém na Cimeira de Paz Nelson Mandela, em homenagem ao antigo presidente sul-africano, nascido há cem anos, na sede das Nações Unidas, em que deverá ser adotada uma declaração política.

Na segunda feira à tarde, Marcelo Rebelo de Sousa tem previstos encontros bilaterais com os presidentes da República do Quénia, Uhuru Kenyatta, e das ilhas do Palau, Tommy Remengesau.

O debate geral desta 73.ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas tem início na terça-feira de manhã, com intervenções dos chefes de Estado do Brasil, Michel Temer, dos Estados Unidos da América, Donald Trump, de França, Emmanuel Macron, do Peru, Martín Vizcarra, e do Irão, Hassan Rohani, entre outros.

Neste dia, o Presidente da República participa também num evento de alto-nível sobre ação para a manutenção de paz e numa reunião de chefes de delegação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Além disso, tem previstas reuniões bilaterais com os seus homólogos de Moçambique, Filipe Nyusi, e da Colômbia, Iván Duque Márquez.

Na quarta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa irá discursar no debate geral da 73.ª sessão da Assembleia Geral da ONU, órgão constituído por representantes de todos os 193 Estados-membros desta organização, no mesmo dia em que também falarão os chefes de Estado de Cabo Verde, da Ucrânia, do Quénia e da Polónia, entre outros.

Antes, terá um encontro bilateral com o Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e irá participar na cimeira sobre o clima "Um Planeta", promovida pelo secretário-geral das Nações Unidas e pelo Presidente francês, Emmanuel Macron.

O debate geral deste ano da Assembleia Geral das Nações Unidas tem como tema "Tornar a ONU relevante para todos: Liderança global e responsabilidade partilhada para sociedades pacíficas, equitativas e sustentáveis".

Em setembro de 2016, o Presidente da República participou na 71.ª sessão da Assembleia Geral da ONU, focado na candidatura de António Guterres a secretário-geral desta organização - cargo para o qual o antigo primeiro-ministro português seria escolhido menos de um mês depois, iniciando funções em 01 de janeiro de 2017.

Há dois anos, Marcelo Rebelo de Sousa estreou-se no debate geral anual entre chefes de Estado e de Governo dos 193 Estados-membros da ONU com um discurso em que defendeu que o novo secretário-geral devia ser "um congregador de espíritos e de vontades", na linha de Mahatma Gandhi e Nelson Mandela.

No ano passado, foi o primeiro-ministro, António Costa, quem representou o Estado português na 72.ª sessão da Assembleia Geral da ONU.

+ notícias: Política

Governo vai analisar projeto ferroviário para o Vale do Sousa

O Governo vai estudar o projeto de construção de uma linha férrea proposta por cinco autarcas. O objetivo da linha do Vale do Sousa, que terá 36 quilómetros, será para ligar Valongo a Felgueiras, passando por Paredes, Paços de Ferreira e Lousada.

Governo reforça equipa de manutenção do Metro do Porto e CP

A empresa que faz a manutenção do Metro do Porto e da CP contratou mais 110 trabalhadores. O Governo acredita que este investimento vai permitir melhorar o setor que tem passado por sucessivas greves e avarias com consequências para a circulação, como acontece com o Alfa Pendular para Braga.

Ministra diz que estatuto do cuidador informal não é exclusivo do Ministério da Saúde

A Ministra da Saúde diz que "não fazia sentido" detalhar na Lei de Bases da Saúde um estatuto do cuidador informal, porque é uma matéria que diz respeito a vários setores e não apenas à Saúde.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.