Info

Ministro da Saúde considera decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 set (Lusa) -- O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto "é coerente" com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

Em resposta a críticas do CDS-PP, Adalberto Campos Fernandes disse hoje na comissão parlamentar de Saúde que "há uma decisão coerente com o que foi dito na altura" em que o Governo anunciou a deslocalização da sede da Autoridade do Medicamento de Lisboa para o Porto e quando nomeou a comissão para estudar os cenários e impactos dessa deslocalização.

O ministro entende que o contexto político mudou, uma vez que foi constituída uma comissão na Assembleia da República para avaliar questões da descentralização de serviços públicos e entende que a questão do Infarmed não deve ser extraída dessa comissão, apesar de no caso da Autoridade do Medicamento se tratar de uma deslocalização.

No final da audição na comissão parlamentar de Saúde de hoje, na qual fez o anúncio sobre o Infarmed em declarações à agência Lusa, Campos Fernandes reiterou que "sempre disse" que a decisão política de deslocalizar a sede da instituição estava subordinada a linhas vermelhas, sendo uma dessas linhas a vontade dos trabalhadores do Infarmed de mudarem.

Segundo o ministro, o Ministério da Saúde terminou este mês a análise ao relatório do grupo de trabalho criado para estudar os cenários da deslocalização do Infarmed e foi com base nesse relatório, em conjunto com o "atual contexto político", que decidiu que a questão do Infarmed iria ser analisada para a comissão criada na Assembleia da República.

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma "barreira" à deslocalização do Infarmed.

"É uma decisão tomada pelo ministro da Saúde tendo em conta o que resulta do relatório e tendo em conta o contexto político", afirmou à agência Lusa.

ARP // JMR

Lusa/fim

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa defende "precipitações" com Regionalização só beneficiama "antirregionalistas"

O presidente da República voltou esta sexta-feira a defender que a Regionalização pode ser perigosa por se colocar o 'carro à frente dos bois'. Foram palavras do chefe de Estado neste segundo dia de agenda oficial pelo Grande Porto, à margem da cerimónia de encerramento da reunião de Academias Nacionais de Medicina de Portugal e do Brasil, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Marcelo destacou que acelerar o processo aumenta os riscos de erro e só favorece os "antirregionalistas".

Miguel Pinto Luz acredita ser uma força de rejuvenescimento do PSD

Miguel Pinto Luz, candidato à liderança do PSD, considerou que no debate ficou claro que é ele quem representa rejuvenescimento no partido.

Presidente da República apela a instituições que sigam o exemplo do Leixões e acolham sem-abrigo

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje que se outras instituições seguissem o exemplo do Leixões SC que integrou dois sem-abrigo, abria-se caminho à resolução de muitos problemas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...

N'Agenda

"Gosto de estar a par do rap que...