Info

António Costa diz que "em outubro tem de haver um acordo final" sobre o Brexit

António Costa diz que "em outubro tem de haver um acordo final" sobre o Brexit
| Economia
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje que em outubro tem de haver um acordo final para a saída do Reino Unido da União Europeia, depois de terem sido registados "progressos reais" nas negociações com o Governo de Theresa May.

"Hoje ficou muito claro que em outubro tem de haver um acordo final [do 'Brexit'], sem prejuízo de depois poder haver acertos de redação final. Mas a decisão sobre o acordo tem de ser tomada em outubro", defendeu.

António Costa, que falava em Salzburgo (Áustria) à saída da reunião informal de chefes de Estado e de Governo, negou que tenha ficado agendada uma cimeira extraordinária dedicada ao 'Brexit', desmentindo uma informação que tinha sido confirmada esta manhã pelo chanceler austríaco, Sebastian Kurz, que ocupa a presidência rotativa da UE.

"Não ficou marcada nenhuma cimeira para novembro, quando muito pode haver redações finais de pormenores que sejam necessários acertar, ou uma cerimónia que simbolize a conclusão, mas a negociação e a decisão de haver ou não haver acordo tem de ser tomada em outubro. Houve progressos reais e por isso decidiu-se decidir [sobre a cimeira] em outubro", esclareceu.

O primeiro-ministro assumiu que houve "avanços positivos" relativamente às propostas que Theresa May apresentou em Chequers.

"Deixou de ser uma questão de princípio não aceitarem em caso algum a jurisdição do Tribunal de Justiça [Europeu], mas o resultado da proposta dela verificou-se que não é praticável, porque não permite manter a unidade do mercado interno que é um princípio fundamental", esclareceu.

Costa indicou que o negociador comunitário, Michel Barnier, tem agora "um mandato claro e uma proposta clara [...] e bastante pragmática" que permitirá resolver a questão central da fronteira irlandesa, sem querer, no entanto, revelar os detalhes da mesma.

A questão do 'backstop' (solução de recurso) da fronteira irlandesa é a que mais 'dores de cabeça' tem causado nas negociações entre Bruxelas e Londres, uma vez que a União Europeia recusa estender a todo o território britânico a "proposta excecional" de incluir a Irlanda do Norte na união aduaneira comunitária.

O Reino Unido vai deixar a União Europeia em 29 de março de 2019, dois anos após o lançamento oficial do processo de saída, e quase três anos após o referendo de 23 de junho de 2016 que viu 52% dos britânicos votarem a favor do 'Brexit'.

+ notícias: Economia

"O terminar do BPA foi talvez o primeiro passo para o desmoronamento da banca nacional"

O Banco Português do Atlântico faria este ano 100 anos de existência. Os ex trabalhadores juntaram-se para relembrar o ultimo grande baluarte de uma instituação com sede no Porto. Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, afirma que "o terminar do BPA foi talvez o primeiro passo para o desmoronamento da banca nacional".

Trabalhadores dos impostos em greve no dia 27 pela negociação das carreiras

Os trabalhadores dos impostos cumprem no dia 27 uma nova greve em protesto pela revisão das carreiras, desta vez convocada pela Associação Sindical dos Profissionais da Inspeção Tributária e Aduaneira (APIT) e cujo pré-aviso foi divulgado este sábado.

Isenção automática de IMI chegou este ano a 1,17 milhões de pessoas

A isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) que é atribuída a pessoas com rendimentos e património imobiliário de baixo valor chegou este ano a 1,17 milhões de contribuintes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.