Info

Portugal com segunda menor taxa de vagas de emprego no 2º trimestre

Portugal com segunda menor taxa de vagas de emprego no 2º trimestre
| Economia
Porto Canal com Lusa

A taxa de vagas de emprego no segundo trimestre fixou-se nos 2,1% na zona euro e nos 2,2% na União Europeia (UE), com Portugal a apresentar a segunda mais fraca (0,9%), segundo o Eurostat.

Na zona euro, a taxa de vagas de emprego subiu para os 2,1% entre abril e junho, face à de 1,9% registada no mesmo período de 2017, mas mantendo-se estável na comparação com o primeiro trimestre.

Na UE, os 2,2% registados entre abril e junho representam um avanço na comparação com os 2,0% de vagas de emprego no período homólogo, não variando face aos primeiros três meses do ano.

As taxas de vagas de emprego mais altas foram registadas na República Checa (5,4%), na Bélgica (3,5%), na Holanda (3,1%) e na Alemanha (2,9%), enquanto as mais baixas se observaram na Grécia (0,7%), na Bulgária, em Espanha e Portugal (0,9% cada).

Face ao segundo trimestre de 2017, a taxa de vagas de emprego aumentou em 20 Estados-membros, manteve-se estável noutros sete e recuou na Estónia.

Em Portugal, a taxa de vagas de empregos manteve-se estável nos 0,9% quer na comparação homóloga quer face ao primeiro trimestre do ano.

+ notícias: Economia

Sindicatos dos motoristas sem acordo com ANTRAM entregam pré-aviso de greve

Os sindicatos representativos dos camionistas não chegaram a acordo com a ANTRAM e entregaram um pré-aviso de greve, com início em 12 de agosto, após uma reunião hoje de quase cinco horas, sob a mediação do Ministério do Trabalho.

Motoristas de transporte de passageiros do Norte avançam para tribunal

Motoristas afetos ao Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN) vão reivindicar em tribunal direitos que dizem não estar a ser cumpridos, como a média das horas extra e folgas, disse fonte sindical.

Comboio elétrico chega à linha do Minho

Está programada para a próxima segunda-feira a viagem inaugural do comboio elétrico na linha do Minho. A obra deveria estar concluída no final de 2018, mas atrasou devido à falta de material.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.