Jornal Diário Jornal das 13

Canil das Terras de Santa Maria promoveu mais de 4.000 adoções mas teme por futuras

Canil das Terras de Santa Maria promoveu mais de 4.000 adoções mas teme por futuras
| País
Porto Canal com Lusa

O Canil Intermunicipal das Terras de Santa Maria, distrito de Aveiro, recolheu 13.060 cães e gatos em 10 anos e nesse período promoveu 4.046 adoções, mas receia que a capacidade das famílias para acolher mais animais esteja esgotada.

Localizado em Oliveira de Azeméis, esse equipamento nasceu em 2008 de um investimento de 500.000 euros financiados em 75% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e em 25% pela Associação de Municípios das Terras de Santa Maria, que então integrava Arouca, Oliveira de Azeméis, São João da Madeira, Santa Maria da Feira e Vale de Cambra, e em 2017 se alargou também a Espinho.

"Quando começámos, havia muitos animais na rua, chegámos a recolher 1.626 num só ano" e "quando os proprietários dos animais passaram a ser responsabilizados pelo seu abandono, as recolhas caíram significativamente, ficando-se por 736 em 2017, mas esse número continua a ser muito superior à nossa capacidade e o problema é que o mercado de adoções começa a ficar esgotado", realçou à Lusa Joaquim Santos Costa, secretário-geral da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (AMTSM), entidade que é responsável pelo canil.

Atualmente, o canil da AMTSM tem 220 animais ao seu cuidado e, desses, 95% são cães. Para os acomodar, a estrutura dispõe de 61 celas, sendo que 51 delas têm oito metros quadrados de área coberta e descoberta, podendo receber um máximo de oito animais em simultâneo, quando esses são de pequeno porte.

O orçamento anual da estrutura é suportado pelas seis autarquias e ronda os 60.000 euros. Desse valor, metade refere-se a custos fixos com funcionamento do espaço e recursos humanos, pelo que se reparte em parcelas iguais pelos seis concelhos, e os restantes 30.000 euros têm um peso variável por município consoante o número de recolhas efetuadas no respetivo território, sendo que a estadia de cada animal custará uma média de dois euros por dia.

Para Joaquim Santos Costa, o facto de a 23 de setembro passar a ser proibido o abate de animais não reclamados não irá perturbar o funcionamento do canil da AMTSM, uma vez que, naquele espaço, a medida foi abandonada “mal a respetiva lei foi aprovada".

A preocupação da sua equipa é sobretudo com a diminuição registada nas adoções, já que "a maioria das famílias com recursos e sensibilidade para acolher estes animais já tem um ou vários em casa e não pode estar sempre a receber mais, o que significa que um cão poderá ficar no canil por um número de anos indeterminado, sempre a dar despesa e a ocupar o espaço de outros que deviam ser retirados das ruas".

Desde que o Canil Intermunicipal das Terras de Santa Maria entrou em funcionamento, o ano de 2012 foi aquele em que se registaram mais adoções, com 514 cães e gatos errantes a entrarem para novas famílias. Nos anos seguintes a adoção ficou-se por 399 a 420 casos a cada 12 meses e, em 2017, esse número foi ainda mais reduzido, descendo para 289 acolhimentos.

Aquando da adoção de um animal, “nós fazemos a esterilização e desparasitação do animal, damos-lhe as vacinas e oferecemos o chip de identificação", realçou Joaquim Santos Costa, alertando, contudo, que “é preciso que as pessoas pensem bem se podem assumir esta responsabilidade”.

“Caso decidam que sim, venham escolher o animal que querem levar consigo", disse o responsável, que na base de dados do Sistema de Identificação e Recuperação Animal está indicado como "pai" dos 220 animais atualmente à guarda do canil da AMTSM.

Entre esses ocupantes, o que aí está há mais tempo é o cão da cela 43, que “entrou no canil em janeiro de 2016, com uns dois meses de idade, e, ao fim de três anos, continua à espera que alguém o queira levar para casa", lamentou a engenheira Susana Silva, da AMTSM, resistindo à tentação de acrescentar mais um elemento à sua já numerosa família de cães e gatos.

Fátima Alcarpe, outra colaboradora do canil, partilha da preocupação da colega e garante que o n.º 43 daria alegria a qualquer casa, por ser “um macho de pelo cerdoso castanho claro" que "seria um bom ‘cãopanheiro'”.

“Só é preciso que se apaixonem por ele", concluiu Fátima.

+ notícias: País

Pelo menos seis mortos em acidente no IC8 em São João da Ribeira, Pombal

Pelo seis pessoas morreram hoje no acidente que envolveu duas viaturas de mercadorias no Itinerário Complementar (IC) 8 em São João da Ribeira, Pombal (Leiria), informou fonte o INEM.

Taxistas realizam segunda-feira caminhada até residência oficial do Primeiro-Ministro

Os motoristas de táxi, que continuam concentrados na Praça dos Restauradores, em Lisboa, realizam na segunda-feira, às 14h00, uma caminhada até à Praça do Comércio, onde fazem uma vigília em frente à residência oficial do Primeiro-Ministro.

Mulher de 96 anos morre em despiste de viatura ligeira em Viseu

O despiste de uma viatura ligeira este domingo no concelho de Viseu, provocou um morto, uma mulher de 96 anos e dois feridos, um deles em estado grave, disse fonte da GNR.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.