Info

António Costa e Fenprof sem acordo sobre contagem do tempo de serviço dos professores

| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, foi esta terça-feira recebido em Paredes de Coura com um "lembrete" de duas dezenas de professores, acompanhados pelo líder da Fenprof, exigindo a contagem do tempo de serviço, terminando o encontro sem acordo.

Atualizado 12-09-2018 11:40

As palavras de ordem do cartaz "Contar Tempo de Serviço, Carreira Justa" deram o mote à conversa informal que António Costa e o líder da Fenprof, Mário Nogueira, mantiveram durante mais de 15 minutos, acompanhados pelo ministro da Educação, natural de Paredes de Coura.

Quando chegou à escola básica e secundária de Paredes de Coura, para visitar as obras em curso no valor de mais de dois milhões de euros, o primeiro ministro teve a iniciativa de dirigir-se a Mário Nogueira e, depois da conversa, ambos admitiram que não foi possível o acordo.

"Com um Governo que não conta o tempo completo dos professores, mesmo negociando o prazo e o calendário, não há acordo possível", afirmou Mário Nogueira aos jornalistas.

Já o primeiro-ministro disse que "com um dirigente sindical tão intransigente, relativamente à proposta que o Governo apresentou, não há acordo possível".

O líder da Fenprof recusou a ideia de manifestação, classificando a ação de hoje como um "lembrete" para "continuar a pressionar o Governo nesta matéria".

Mário Nogueira adiantou ainda que vai pedir a negociação suplementar para ainda tentar um acordo, garantindo que caso isto não aconteça, as manifestações irão acontecer.

+ notícias: Política

Presidente da República faz apelo cívico e pede aposta na prevenção da sinistralidade rodoviária

O Presidente da República fez este domingo um apelo cívico aos portugueses para se combater a sinistralidade rodoviária no país e pediu uma aposta das autoridades “na prevenção, na educação e na sinalização”.

Presidente da República receia que número de propostas atrase promulgação do OE 2019

O Presidente da República expressou este saábdo preocupação com o prazo de promulgação do Orçamento do Estado para 2019, afirmando recear que o número de propostas de alteração apresentadas, quase mil, leve a um atraso na redação final.

Manuel Machado diz que houve quem confundisse descentralização com regionalização

O presidente da Associação Nacional de Municípios diz-se satisfeito com o processo de descentralização. Manuel Machado garante que esta é só a primeira fase de uma transferência de competências mais ampla. E quanto aos autarcas que criticam a reforma fala de deslealdade e más interpretações

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Peça de teatro 'Do alto da...