Jornal Diário Jornal das 13

GNR de Vila Real regista aumento de 7% na criminalidade devido a incêndios

| Norte
Porto Canal com Lusa

Vila Real, 07 set (Lusa) -- A criminalidade no distrito de Vila Real aumentou 7% em 2017, na área de intervenção da GNR, devido sobretudo às ocorrências de incêndios, disse hoje o comandante distrital.

O coronel António Leal, que falava durante o Dia da Unidade do comando de Vila Real, referiu que, no ano passado, foram registados 4.245 crimes, o que representa um acréscimo de 7% relativamente a 2016.

Este aumento, frisou, deveu-se, sobretudo, à ocorrência de incêndios.

No que diz respeito à defesa da floresta contra incêndios foram elaborados 1.248 autos por ilícitos criminais e 300 contraordenacionais, identificados 126 indivíduos e efetivadas duas detenções.

Segundo António Leal, já no primeiro semestre deste ano, o número de ocorrências de incêndios "diminuiu significativamente", o que, na sua opinião, reflete a "eficácia das medidas de prevenção e de combate que têm sido realizadas".

Quanto aos crimes contra as pessoas e contra o património houve uma "redução de 6%", pelo que, o comandante concluiu que o "distrito de Vila Real é um território mais seguro".

Relativamente à investigação criminal, as equipas da GNR elaboraram 87 inquéritos e detiverem 61 indivíduos pela prática dos mais variados crimes investigados.

A GNR deteve 34 pessoas por tráfico de droga e apreendeu 763 plantas de canábis, entre outras substâncias estupefacientes.

Para António Leal, a violência doméstica continua a ser uma das "grandes preocupações" desta unidade. Em 2017, foram registados 330 crimes e efetuadas seis detenções.

A GNR realizou ainda 865 ações de sensibilização, em sala e em patrulha, tendo chegado a mais de 29.000 pessoas, com especial incidência nas crianças e em idosos.

Segundo o comandante, no âmbito da segurança rodoviária, em 2017, foram fiscalizados cerca de 50 mil condutores e levantados 13 mil autos de contraordenação.

Destes condutores, 644 conduziam sob a influência de álcool e 72 sem habilitação legal para conduzir.

No ano passado foram registados 1.704 acidentes, de que resultaram 538 feridos leves, 29 feridos graves e 15 vítimas mortais, o que representa um aumento em todos os indicadores, com exceção do número de feridos graves.

"De facto, este fenómeno constitui-se como o maior problema de segurança pública, de criminalidade e de morbilidade no distrito, sendo a pior causa de morte violenta", frisou.

Em colaboração com o Ministério da Saúde, foram efetuadas 12 missões de transporte urgente de produtos biológicos, para transplante de órgãos humanos, que permitiram ajudar a salvar 12 vidas em situações de elevado risco.

O comando de Vila Real conta com um efetivo de 654 militares e 66 funcionários civis, distribuídos por quatro destacamentos, 21 postos, em 14 concelhos e numa área que corresponde a 98% do território do distrito.

PLI // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Hospital de São João quer aproveitar projeto antigo para novo Centro Pediátrico

O Centro Hospitalar de São João, no Porto, está a "auscultar os serviços jurídicos" sobre a possibilidade de poder aproveitar o projeto existente para a construção do novo Centro Pediátrico, anunciou hoje o presidente da administração daquele hospital.

Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes em isolamento numa instituição em Bragança

O Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes que estão em isolamento há vários anos numa instituição em Bragança. O caso foi denunciado pelo Porto canal há dois meses. Depois disso, quase nada foi feito apesar da própria instituição pedir mais formação para lidar com os doentes, as entidades responsáveis continuam a dizer que os utentes vivem em condições adequadas.

100 semáforos geridos pela Metro do Porto em Matosinhos não têm sinal sonoro

Há 100 semáforos geridos pela Metro do Porto no concelho de Matosinhos que não têm avisos sonoros. A funcionalidade vai começar a ser instalada, uma vez que os sinais sonoros são indispensáveis para os invisuais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.