Jornal Diário Jornal das 13

Número de desempregados registados cai 20,6% em julho e renova mínimo de 16 anos

Número de desempregados registados cai 20,6% em julho e renova mínimo de 16 anos
| Economia
Porto Canal com Lusa

O número de desempregados registados nos centros de emprego baixou 20,6% em julho face ao mesmo período de 2017 para 330.587, renovando mínimos dos últimos 16 anos, segundo dados hoje divulgados.

De acordo com dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), o total de desempregados registados em julho no país foi inferior ao do mesmo mês de 2017, havendo menos 85,7 mil inscrições, o equivalente a uma descida de 20,6%.

A mesma tendência registou-se em termos mensais, com o número de desempregados inscritos a baixar 0,5%, o equivalente a menos 1,8 mil registos.

A contribuir para a redução, em termos homólogos, está a diminuição dos homens desempregados (-43.362), dos adultos com idade igual ou superior a 25 anos (-72.340), dos inscritos há um ano ou mais (-51.175), dos que procuravam um novo emprego (-73.500) e ainda dos que têm o ensino básico (-19.916) e o ensino secundário (-18.750), de acordo com o IEFP.

Acresce que o número de jovens desempregados em julho (31,1 mil) equivalia ao número mais baixo em pelo menos quase 30 anos, enquanto o dos desempregados de longa duração (160,5 mil) representava o mais baixo desde o início de 2009.

Ainda neste mês, verificaram-se 497.211 pedidos de emprego (menos 16,2% em termos homólogos) e 20.006 ofertas de emprego (menos 17,8% relativamente ao mesmo mês de 2017), adiantam os dados do IEFP.

+ notícias: Economia

Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Centeno diz que será cumprido défice de 0,7% do PIB este ano

O ministro das Finanças disse hoje que será cumprido este ano o défice previsto de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), uma vez que não se repetirão os efeitos que penalizaram o saldo das contas públicas no primeiro semestre.

UGT aprova hoje reivindicações para 2019, com aumentos entre os 3 e os 4%

A UGT volta hoje à atividade sindical com a aprovação da política de rendimentos para 2019, que deverá incluir um aumento dos salários entre os 3 e os 4% e outras medidas para melhorar o rendimento das famílias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.