Info

Novo balanço aponta para pelo menos 357 mortos após inundações em Kerala, Índia

Novo balanço aponta para pelo menos 357 mortos após inundações em Kerala, Índia
twitter
| Mundo
Porto Canal com Lusa

Um novo balanço das autoridades indianas aponta para pelo menos 357 mortos na sequência das inundações que atingiram Kerala, na Índia, as mais graves em 100 anos naquele estado do sul do país.

As chuvas torrenciais têm-se abatido desde o final de maio em Kerala, provocando deslizamentos de terra e inundações repentinas.

"Desde 29 de maio, dia em que as chuvas de monção começaram em Kerala, (...) um total de 357 pessoas perderam as suas vidas", incluindo 33 nas últimas 24 horas, informou em comunicado o serviço de informações daquele estado.

O balanço anterior apontava para 324 vítimas mortais.

Cerca de 350 mil pessoas tiveram que se refugiar em cerca de três mil centros de apoio.

Milhares de soldados do Exército, da Marinha e da Força Aérea foram mobilizados para resgatar aqueles que estão isolados pelas águas.

O estado de Kerala, procurado pelos turistas devido às praias rodeadas de palmeiras e às plantações de chá, é afetado anualmente por fortes chuvas na época das monções.

+ notícias: Mundo

Português detido por homicídio nos Estados Unidos vai a tribunal a 13 de março

O luso-venezuelano Javier Enrique Da Silva Rojas, detido nos Estados Unidos por furto e homicídio, vai apresentar-se num tribunal em Nova Iorque para uma audiência preliminar a 13 de março, segundo documentos a que a Lusa teve acesso este domingo.

Turquia detém 52 sírios suspeitos de ligação ao Estado Islâmico

A Turquia deteve esta quinta-feira 52 cidadãos sírios suspeitos de ligação ao grupo extremista Estado Islâmico numa operação na cidade de Bursa, a cerca de 100 quilómetros a sul de Istambul, noticia a agência estatal Anadolu.

Democratas e republicanos anunciam acordo provisório sobre muro exigido por Trump

Negociadores democratas e republicanos anunciaram no domingo terem alcançado um princípio de acordo sobre o muro que o Presidente dos Estados Unidos reinvindica na fronteira com o México, mas cuja verba está longe daquela reclamada por Donald Trump.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.