Info

Câmara de Gondomar “muito preocupada” com "análises anómalas" na praia de Melres

Câmara de Gondomar “muito preocupada” com "análises anómalas" na praia de Melres
| Norte
Porto Canal com Lusa

A câmara de Gondomar assumiu hoje estar "muito preocupada" com "picos de análises anómalas" a águas da praia fluvial de Melres, mas garantiu que "não há razão para desaconselhar" o uso do areal nem os banhos.

"Registamos picos com análises anómalas nesta praia [fluvial], mas não temos capacidade para perceber quais as razões para esta situação [e] a praia de Melres não está desaconselhada. Estamos muito preocupados com esta questão e reafirmamos o alerta e o pedido de envolvimento de todas as entidades para perceber o que se passa", disse o vereador da câmara de Gondomar, Carlos Brás.

O autarca respondia à agência Lusa quando confrontado com um comunicado do PSD/CDS-PP, no qual esta coligação, que é oposição em Gondomar, acusava o executivo socialista de demonstrar "inoperância" quanto à interdição da praia de Melres, um dos três areais fluviais classificados neste concelho do distrito do Porto.

Na nota enviada à Lusa, o PSD/CDS-PP refere que "a praia de Melres, uma das ‘joias da coroa' do Alto Concelho de Gondomar, continua contaminada".

"Foram, continuamente, e naqueles órgãos [câmara e assembleia municipal], solicitadas diligências, estudos e um acompanhamento desta situação, sem que tenha existido qualquer resultado nem tenham sido identificadas, de forma concreta, quais as entidades responsáveis pelo foco de poluição que atinge a praia de Melres", lê-se no comunicado do PSD/CDS-PP.

Questionada a autarquia liderada em maioria pelo PS, o vereador Carlos Brás garantiu que a praia pode ser usada, ainda que confirmando os "picos" e salientando "preocupação", e avançou que a câmara vai "insistir com as autoridades que tutelam a Via Navegável do Douro para que a monitorização seja mais apertada".

"De vez em quando esta situação acontece infelizmente. Também já aconteceu na Lomba e em Zebreiros [praias fluviais de Gondomar]. Não encontramos coerência nas análises. Não se pode ignorar que, nesta época do ano, há maior carga humana e carga fluvial no rio devido ao turismo, mas a ação não depende só de Gondomar", afirmou o autarca.

Carlos Brás contou à Lusa que em março reuniu com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e que da reunião ficou o compromisso de que todas as entidades com responsabilidades na Via Navegável do Douro, desde os agentes ambientais às várias câmaras municipais e responsáveis portuários, seriam envolvidas numa discussão sobre o tema.

"Não temos ‘feedback’ desse compromisso e reiteramos a necessidade de reunir todas as entidades", disse.

Contactada pela Lusa, a APA remeteu esclarecimentos para a próxima semana.

+ notícias: Norte

Relação confirma três anos de prisão com pena suspensa para ex-autarca de Braga

O Tribunal da Relação de Guimarães confirmou a condenação a três anos de prisão, com pena suspensa, do antigo presidente da Câmara de Braga Mesquita Machado, no processo relacionado com a expropriação do quarteirão das Convertidas.

Aeródromo de Vila Real encerrado a aviões por falta de segurança

O aeródromo municipal de Vila Real está encerrado a aviões, a partir de hoje e por tempo indeterminado, devido a questões de segurança relacionadas com o abatimento do piso, disse fonte da autarquia.

Comissão ordena desmontagem de grua no Porto por incumprir normas de segurança

A comissão de acompanhamento criada depois da queda de duas gruas na cidade do Porto ordenou a desmontagem de uma grua colocada junto a um edifício na Praça da República, por não cumprir a normas estipuladas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.