Info

Vídeo mostra soldados camaroneses a executarem uma dezena de pessoas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Yaoundé, 12 ago (Lusa) -- A difusão de um novo vídeo, que mostra a execução de uma dezena de pessoas por alegados soldados camaroneses, reacendeu hoje a polémica sobre a atuação das forças armadas dos Camarões, frequentemente acusadas de violação dos direitos humanos.

As imagens foram mostradas hoje pela Amnistia Internacional (AI), mas já circulavam nas redes sociais.

O vídeo, com dois minutos, mostra 12 homens sem armas a serem executados a tiro contra um muro e, segundo a AI, "é verdadeiro", tendo sido realizado na localidade de Agashishigasha, no norte dos Camarões, zona na qual as Forças Armadas combatem o grupo 'jihadista' Boko Haram.

Além de terem matado os 12 homens os soldados terão, alegadamente, incendiado casas.

A divulgação do vídeo ocorreu um dia depois do chefe do Governo Paul Biya ter admitido a autenticidade de outro similar que mostra a execução sumária de duas mulheres -- supostamente terroristas, com os seus filhos.

O Governo ainda não emitiu, até ao momento, qualquer reação oficial.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) considerou na sexta-feira que os ataques terroristas do Boko Haram e Estado Islâmico "causaram uma larga e devastadora perda de vida, tiveram um impacto humanitário devastador, incluindo a deslocação de um grande número de civis na Nigéria, nos Camarões e no Chade, e representam uma ameaça para a estabilidade e a paz na África Central e Ocidental".

Notou ainda "com particular preocupação o uso continuado pelo grupo radical Boko Haram de mulheres e raparigas como bombistas suicidas", o que considerou que "criou uma atmosfera de suspeição para mulheres e raparigas, tornando-as alvo de assédio e estigmatização nas comunidades afetadas e de detenções arbitrárias pelas forças de segurança".

CC (RN) // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Número de mortos contabilizados por Moçambique devido ao ciclone sobe para 417

O número de mortos contabilizados por Moçambique, devido ao ciclone Idai, subiu este sábado para 417, anunciaram hoje as autoridades.

Forças Democráticas Sírias anunciam fim do "califado" do Estado Islâmico na Síria

As Forças Democráticas Sírias anunciaram este sábado que o "califado" do grupo extremista Estado Islâmico (EI) foi totalmente eliminado, após combates em Bagouz, o último reduto 'jihadista' na Síria.

PJ de Macau desmantela rede que lucrou 35,1 ME com negócio da prostituição desde 2017

As autoridades de Macau detiveram 13 membros de um grupo suspeito de lenocínio e associação criminosa que a Polícia Judiciária (PJ) acredita ter obtido, desde 2017, 313 milhões de dólares de Hong Kong (35,1 milhões de euros).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.