Jornal Diário Jornal das 13

Portugal no mercado na 4.ª feira para emitir até 1.000ME de dívida de curto prazo

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 10 ago (Lusa) - Portugal volta ao mercado na próxima semana para emitir até 1.000 milhões de euros em dois leilões de Bilhetes de Tesouro (BT) a três e a 11 meses, segundo confirmou hoje o IGCP.

Numa nota à comunicação social, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) diz que vai realizar, no próximo dia 15 de agosto, pelas 10:30, dois leilões das linhas de BT com maturidades em 16 de novembro e 19 de julho de 2019, com um montante indicativo global entre 750 milhões e 1.000 milhões de euros.

Este duplo leilão já estava previsto entre as três idas ao mercado para financiamento de curto prazo agendadas para o terceiro trimestre deste ano, segundo o programa de financiamento do IGCP,

A emissão agendada para quarta-feira é comparável com os dois leilões de BT que ocorreram em junho, que também tinham maturidades a três e a 11 meses.

Na altura, Portugal emitiu 300 milhões de euros a três meses a uma taxa de juro de -0,399% e 950 milhões de euros a 11 meses a uma taxa de juro de -0,290%.

SP // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Não param de aumentar os registos de alojamento local

Tem aumentado exponencialmente o número de registos de alojamento local em Portugal. Os proprietários estão a aproveitar enquanto a nova lei não entra em vigor. Com as novas regras, as autarquias passam a ter mais poderes e podem inclusive criar zonas nas cidades sem este tipo de alojamento.

Menos turistas estrangeiros reduzem dormidas nos hotéis em 2,9% em junho

As dormidas na hotelaria diminuíram 2,9% em junho em termos homólogos, devido sobretudo aos turistas estrangeiros que pernoitaram menos 5,1% nos hotéis portugueses nesse mês, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Portugal ascende ao 2º lugar dos países que mais fundos recebem de Bruxelas

Portugal recebeu, em três anos, 5,7 mil milhões de euros da Comissão Europeia, ascendendo ao segundo lugar entre os Estados-membros que mais fundos comunitários receberam até junho, segundo dados revelados por Bruxelas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.