Jornal Diário Jornal das 13

Rússia admite responder com todos os meios contra sanções dos EUA

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Moscovo, 10 ago (Lusa) -- A Rússia considera que as eventuais novas sanções norte-americanas são uma "declaração de guerra económica" pelo que Moscovo pode vir a reagir com "todos" os meios disponíveis, disse hoje o primeiro-ministro Dimitri Medvedev.

Os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira novas sanções económicas contra a Rússia devido ao envenenamento do ex-espião russo, Sergei Skripal, no Reino Unido, sublinhando a possibilidade de uma "nova vaga de sanções draconianas" no futuro.

"[Os Estados Unidos] continuam a referir-se à interdição das atividades deste ou daquele banco ou à utilização de certas divisas. É preciso que as coisas sejam referidas com clareza: Trata-se de uma declaração de guerra económica", disse o primeiro-ministro russo Dmitri Medvedev citado pela agência Interfax.

"Tudo isto vai obrigar-nos a responder a esta guerra. Através de meios económicos e de meios políticos e, se for necessário, por outros meios", acrescentou Medvedev.

"Os nossos amigos americanos vão ter de compreender", sublinhou sem especificar.

Na quinta-feira, o Kremlin anunciou que a primeira lista de sanções norte-americanas que visam a exportação de produtos tecnológicos é "inadmissível e ilegal" prometendo retaliar.

A segunda lista de sanções, que foi qualificada como "draconiana" por um alto responsável norte-americano, pode inclusivamente vir a impedir as companhias de aviação russas de utilizar aeroportos dos Estados Unidos assim como suspender as relações diplomáticas entre os dois países.

Na quarta-feira, o jornal russo Kommersant noticiava que o projeto de sanções dos Estados Unidos exige, nomeadamente, um inquérito à suposta fortuna pessoal do presidente russo Vladimir Putin e pode impedir a compra de dívida russa por parte de investidores norte-americanos.

A mesma notícia indicava que o projeto propõe igualmente sanções contra os grandes bancos públicos russos como o Sberbank, VTB e Gazprombank e às empresas do setor dos hidrocarbonetos, essencial para a economia da Rússia.

O país ficou submetido a uma série de sanções ocidentais desde a invasão da Crimeia, em 2014 e que contribuíram para a subida do preço dos hidrocarbonetos.

PSP // SB

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Dezenas de mortos em colapso de viaduto em Génova

O colapso de um viaduto na autoestrada A10, no norte da Itália, terá provocado a morte de dezenas de pessoas, de acordo com o diretor do serviço de emergência 118 de Génova, divulgou o jornal La Repubblica.

Google guarda localizações dos utilizadores mesmo sem estes quererem

A Google está tão determinada em saber a localização dos seus utilizadores que a regista mesmo que estes manifestem de forma explícita a sua oposição a tal registo, noticiou hoje a agência AP.

Nenhum dos feridos no incidente em Londres corre risco de vida

Nenhuma das pessoas que ficaram hoje feridas na colisão de um carro contra as barreiras colocadas em frente ao Parlamento britânico corre risco de vida, anunciou a polícia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Olá Maria!

Trend(i) - diferentes tipos de bolsas...

N'Agenda

Exposição 'Amor com amor...