Info

Limpeza de terrenos junto a casas evita propagação de incêndio em Matosinhos

| Norte
Porto Canal com Lusa

O incêndio que desde as 13:00 lavra próximo de habitações em Matosinhos foi controlado devido à limpeza dos terrenos anexos às casas feito pelos proprietários e pelo município, revelou o vereador José Pedro Rodrigues.

Atualizado 10-08-2018 11:58

O incêndio que surgiu perto de habitações e da fábrica de conservas Ramirez na freguesia de Lavra, naquele concelho do distrito do Porto, não obrigou à retirada das pessoas das suas habitações nem à interrupção laboral naquela unidade fabril, segundo o vereador da Proteção Civil da Câmara de Matosinhos.

O incêndio junto "às habitações e da fábrica Ramirez está controlado, houve um reacendimento a norte, na Rua das Cavadas, e é essa a razão por que os bombeiros continuam no terreno", disse.

"A zona mais perto das casas e da fábrica já está em rescaldo", acrescentou José Pedro Rodrigues, salientando os cuidados havidos em encaminhar as pessoas "para a rua por precaução" e não por "haver perigo iminente".

Explicando que a zona mais próxima das casas "corresponde a terrenos em que a fiscalização municipal notificou proprietários e procedeu a limpezas", salientou a importância dessa ação preventiva, afirmando que "foram cruciais não só para que o trabalho dos bombeiros pudesse ter um resultado mais eficaz, mas também para proteger estas habituações da propagação do incêndio".

"Esta limpeza foi determinante para evitar que o incêndio gerasse danos para as habitações", enfatizou o vereador.

Falando aos jornalistas cerca das 17:00, o responsável municipal garantiu que a "situação no momento "não inspira grandes preocupações", mantendo-se a presença dos bombeiros no local dado que o "vento continua muito intenso" e que "irão continuar atentos a reacendimentos".

No terreno estiveram, segundo José Pedro Rodrigues, corporações de Matosinhos/Leça, Leça do Balio, São Mamede de Infesta, Pedrouços e dos Bombeiros Portuenses estiveram no terreno com diferentes meios de combate.

JYFO // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Demissionários do Hospital de Gaia admitem que muitos dos problemas têm "anos"

Diretores e chefes de serviço demissionários do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho admitiram que muitos dos problemas existentes já "têm anos", num memorando remetido à Comissão Parlamentar de Saúde e a que a Lusa teve hoje acesso.

Ministério da Educação acompanha “situações pontuais” identificadas em escola da Maia

O Ministério da Educação avançou esta quarta-feira que está a acompanhar "situações pontuais identificadas" por pais da Escola EB1/JI do Lidador, concelho da Maia, avançado em primeira mão pelo Porto Canal, garantindo que está a procurar "salvaguardar um ambiente salutar na aprendizagem".

Relação mantém pena máxima para cinco condenados por morte de empresário de Braga

A Relação do Porto manteve esta quarta-feira as penas de 25 anos de prisão aplicadas em primeira instância a cinco dos principais condenados por sequestro e homicídio de um empresário de Braga, cujo corpo acabou dissolvido em ácido sulfúrico.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.