Info

Classe 1 nas portagens passa a abranger veículos até 1,30 metros

| Economia
Porto Canal com Lusa

Os veículos que pagam menos portagem passam a incluir os que têm peso bruto inferior ou igual a 2.300 quilogramas e altura ao primeiro eixo até 1,30 metros, segundo o decreto-lei aprovado hoje em Conselho de Ministros.

Atualizado 10-08-2018 12:05

Na informação divulgada pelo Governo sobre o diploma que ajusta as classes 1 e 2 de veículos para efeitos de aplicação das tarifas de portagem por quilómetro de autoestrada, os veículos integrados na classe 1 inclui também o cumprimento da "norma ambiental EURO 6 relativa às emissões automóveis".

"O diploma vem adequar o quadro normativo nacional à legislação europeia em matéria de segurança rodoviária e de sustentabilidade ambiental dos transportes, promovendo a coerência no tratamento dado aos utilizadores das autoestradas", lê-se na mesma informação.

O ajuste das classes vinha a ser reivindicado pelo setor, nomeadamente, pelo grupo PSA, que tem uma fábrica em Mangualde e tinha referido que o investimento em Portugal poderia estar em causa caso se mantivesse o modelo de pagamento das portagens ser anexado à altura dos veículos.

Com o modelo atual de portagens, a nova viatura fabricada em Mangualde, por ter mais de 1,10 metros de altura, deveria ser incluída na classe dois e agora será classe 1.

+ notícias: Economia

Moody's diz que banca portuguesa deve reduzir rede de agências e tem que melhorar qualidade de ativos

Os bancos portugueses estão no bom caminho, mas devem continuar a melhorar a qualidade dos ativos e reforçar os esforços de reestruturação, nomeadamente em termos da redução da rede de agências, indicaram à Lusa especialistas da Moody's.

Economia cresceu 2,1% em 2018 e ficou abaixo da meta do Governo

O Produto Interno Bruto (PIB) português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo da previsão do Governo de uma expansão de 2,3%, divulgou esta quinta-feira o INE.

Sindicatos dizem que rejeição da abolição de portagens na A23 e A25 demonstra desprezo pelo interior

A União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) afirmou esta terça-feira que a rejeição das propostas para a abolição das portagens na A23 e na A25 é uma "demonstração do desprezo" pelo interior do país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.