Info

Porto com casas para 14 sem-abrigo e 260 camas de emergência da Segurança Social

Porto com casas para 14 sem-abrigo e 260 camas de emergência da Segurança Social
| Política
Porto Canal com Lusa

A Segurança Social no distrito do Porto disponibiliza seis "alojamentos definitivos" para acolher 14 sem-abrigo e 260 camas de "emergência", no âmbito da estratégia Nacional Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo, revelou hoje à Lusa aquela entidade.

"Com o apoio da Misericórdia do Porto e da Benéfica Previdente, que cederam quatro e dois apartamentos, respetivamente, foram criadas soluções de residência partilhada e individual que estão a ser acompanhadas e geridas com o apoio da Segurança Social. No total, já integraram esses apartamentos 14 pessoas", adiantou fonte oficial do Instituto de Segurança Social (ISS).

Quanto ao alojamento temporário ou de emergência, o ISS financia no Porto e em Vila do Conde 260 camas, aguardando-se por um alargamento de mais 15, para juntar às disponibilizadas no Centro de Acolhimento de Emergência do Hospital Joaquim Urbano, uma valência da Câmara do Porto no apoio aos sem-abrigo que tem atualmente 20 utentes.

Numa visita realizada ao Porto a 31 de maio, o Presidente da República (PR) indicou existirem 20 a 30 sem-abrigo com casas "definitivas" em Lisboa e Porto, "o que ainda é pouco".

O ISS diz que os alojamentos definitivos para os sem-abrigo são "um processo em curso", notando que "soluções como o da Housing First [projeto da Associação Crescer, que em 2017 tinha retirado das ruas de Lisboa, após quatro anos de implementação, mais de 20 sem-abrigo], ainda não foram implementadas no Porto".

Quanto ao "alojamento de emergência e temporário", o Centro Distrital do Porto da Segurança Social "assegura o financiamento de três centros de Alojamento Social, dois na cidade do Porto e um em Vila do Conde", resultado de um "protocolo de compromisso" com as Misericórdias locais.

Com uma capacidade total de 76 camas, estas respostas "destinam-se a sem-abrigo, mas também àqueles que, por problemas vários (desalojamento, conflitos familiares, etc.), ficaram sem habitação", observa o ISS, apontando uma taxa de ocupação "próxima dos 100%".

A par disso, "são financiados dois centros de alojamento temporário nos Albergues Noturnos do Porto, com uma capacidade total para 82 indivíduos e alargamento previsto para mais 15 camas".

A isto, soma-se o financiamento de "mais quatro Centros de Alojamento Temporário ou Comunidades de Inserção com Alojamento": na Santa Casa da Misericórdia do Porto, na Associação Médica Internacional, no Centro S. Cirilo e na Norte Vida -- Associação para a Promoção da Saúde, com uma capacidade total de 102 camas.

A Segurança Social assegura ainda a "manutenção de cantinas sociais, três das quais com um total de 183 refeições diárias" para sem-abrigo.

Noutras duas, de suporte a Centros de Alojamento Social, fornecem 95 refeições diárias", revela o ISS.

Assim, "no total são asseguradas 278 refeições diárias a sem-abrigo".

O ISS assinala ainda a existência de "dois refeitórios sociais desenvolvidos em equipamentos sociais, financiados através de acordos de cooperação, com fornecimento de refeições (95 diárias)".

A segurança social assegura também "equipas de rua" que, "através de equipas multidisciplinares, estabelecem uma abordagem com sem-abrigo, visando melhorar as suas condições de vida".

O ISS esclarece que, com a Resolução do Conselho de Ministros nº 107/2017, de 25 de julho, que aprova a Estratégia Nacional para a Integração das Pessoas em Situação de Sem-Abrigo (ENIPSSA) 2017-2023, a Câmara do Porto assumiu a coordenação do Núcleo de Planeamento e Intervenção nos Sem Abrigo (NPISA) da cidade do Porto.

Algumas das respostas da SS são "anteriores à implementação do ENIPSSA 2009/2015 e outras foram "criadas ou consolidadas neste período", estando a "ser complementadas com outras mais recentes da iniciativa da Câmara do Porto, como o Restaurante Solidário, a Equipa de Rua 'Porto de Abrigo' e o Centro de Acolhimento de Emergência do Hospital Joaquim Urbano".

+ notícias: Política

Manuais escolares deverão ser usados três vezes e substituídos

Os manuais escolares gratuitos, que no próximo ano serão distribuídos a um 1,2 milhões de alunos do 1.º ao 12.º ano, deverão ser utilizados três vezes e depois substituídos por novos, afirmou hoje o secretário de estado da Educação.

Ministro da Defesa inicia processo de substituição de Rovisco Duarte na chefia do Exército

O ministério da Defesa Nacional aceitou o pedido de demissão do chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, e anunciou que iniciou o processo de substituição.

Marcelo Rebelo de Sousa quer estratégia contra pobreza e diz que momento é agora

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu esta quarta-feira que é preciso uma estratégia autónoma de combate à pobreza, à semelhança do que já acontece com as pessoas sem-abrigo, sublinhando que o momento de o fazer é agora.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.