Info

Pena de 21 anos de prisão para homem que matou e escondeu idosa em arca frigorífica em Estarreja

Pena de 21 anos de prisão para homem que matou e escondeu idosa em arca frigorífica em Estarreja
| País
Porto Canal com Lusa

O Tribunal de Aveiro condenou esta sexta-feira a 21 anos de prisão um homem que matou uma mulher de 80 anos e escondeu o corpo numa arca frigorífica, há pouco mais de um ano, em Estarreja.

O coletivo de juízes deu como provado que o arguido, de 45 anos, entrou na residência da mulher para a assaltar e depois agrediu e violou a idosa que acabou por morrer, devido a asfixia por sufocação.

O tribunal entendeu que o crime ocorreu em circunstâncias que revelam "especial censurabilidade", tendo em conta que o homicida "sabia que a vítima era uma pessoa particularmente indefesa, em razão da sua idade e dos seus graves problemas de saúde".

"Apurou-se que a vítima tinha 80 anos de idade, tinha problemas de locomoção. Era pessoa debilitada fisicamente", disse a magistrada, concluindo que a vítima "estava numa situação de completa ausência de defesa".

A juíza referiu ainda que o arguido assumiu parte dos factos, mas "não fez a completa interiorização do desvalor da sua conduta".

O arguido foi condenado nas penas parcelares de 18 anos e meio de prisão, por um crime de homicídio qualificado, dois anos, por um crime de roubo, cinco anos, por um crime de violação, e nove meses, por um crime de profanação de cadáver.

Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de 21 anos de prisão.

O tribunal julgou ainda parcialmente procedente o pedido de indemnização cível, deduzido pelo irmão da vítima, condenando o arguido a pagar-lhe 52.500 euros.

O arguido vai manter-se em prisão preventiva até ao trânsito em julgado da decisão.

Durante o julgamento, o arguido, que vivia à data como sem abrigo e arrumava carros, contou que se descontrolou, quando pediu um copo de vinho à idosa e ela recusou.

"Não sei o que me passou pela cabeça. Agarrei a senhora por trás e coloquei-lhe um lenço na boca e a senhora caiu para trás, mas não tinha intenção de a matar", disse o arguido.

O homem negou ainda ter agredido a idosa, admitindo que as lesões que a mesma apresentava tenham sido provocadas pelas quedas. "Eu não lhe toquei nem com uma unha. Não lhe bati", afirmou o arguido, que também negou ter violado a octogenária.

O crime ocorreu na noite de 26 de maio de 2017, quando o arguido se deslocou a casa da vítima, em Salreu, para comprar uma galinha.

Segundo a acusação do Ministério Público, o arguido agarrou a vítima por trás, quando aquela se baixou para apanhar uma galinha, e introduziu-lhe um lenço na boca, amordaçando-a com a fita adesiva.

De acordo com os investigadores, o arguido violou a idosa, desferiu-lhe vários golpes com um objeto contundente não concretamente apurado na cabeça e asfixiou-a.

Depois de matar a mulher, o arguido terá remexido toda a casa à procura de valores, retirando uma carteira contendo 145 euros e um telemóvel, indo depois deitar-se num quarto da casa.

Na manhã do dia seguinte, o arguido colocou o corpo da idosa no interior de uma arca frigorifica e fechou-a à chave, abandonando a casa ao anoitecer.

A vítima veio a ser encontrada por familiares, passados três dias, no interior da referida arca frigorífica, congelada e amordaçada com uma tira de fita adesiva e um lenço de senhora.

Além deste caso, o arguido estava ainda acusado de homicídio na forma tentada, por alegadamente ter tentado envenenar com um fármaco e um produto para desentupir canos, misturado com groselha, uma mulher com quem manteve um relacionamento amoroso, tendo sido absolvido relativamente a este crime.

+ notícias: País

Borba: Pelo menos dois mortos confirmados

O deslizamento de terras para uma pedreira, ocorrido hoje à tarde na zona de Borba, provocou, pelo menos, dois mortos, divulgou o Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Évora, José Ribeiro.

Ordem dos Médicos desafia ministra da Saúde a fazer turnos com médicos internos

A Ordem dos Médicos desafia a ministra da Saúde a ir para o terreno fazer turnos com os médicos internos. O desafio foi lançado numa carta aberta, depois de ninguém do ministério da saúde ter estado presente na cerimónia do juramento de Hipócrates no Porto.

Aluimento de terras em Borba arrasta retroescavadora e dois automóveis

Uma retroescavadora e dois automóveis foram hoje arrastados para o interior de uma pedreira, na zona de Borba, no distrito de Évora, devido a um aluimento de terras, desconhecendo-se o número de vítimas, indicou fonte do INEM.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.