Info

Estado da Nação: Deputado do PAN critica "estado de negação" dos políticos

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 jul (Lusa) -- O deputado do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) André Silva criticou hoje o "estado de negação" dos políticos que continuam a tomar decisões à custa do ambiente ou a não avançar com a renegociação da dívida pública.

"Negamos que continuamos a fazer crescer a economia à custa do bem mais precioso que temos, o ambiente", afirmou André Silva no debate do estado da nação, na Assembleia da República, em Lisboa, centrando a sua intervenção no "estado de negação".

Um "estado de negação" na política energética, quando o "Governo já assume a contradição de querer descarbonizar a economia e cumprir as metas de Paris, explorando petróleo na costa Portuguesa", disse.

Para o deputado André Silva, "mesmo a nível macroeconómico e financeiro", continua-se em "estado de negação".

"Em vez de optarmos por iniciar o processo de negociação da dívida externa, libertando assim o país do peso dos juros e acrescentando liquidez à economia, aguardamos o aval dos omniscientes mercados e da omnipresente burocracia Europeia", exemplificou.

Por isso, e perante o impasse, o executivo "continua com dificuldades em financiar o Serviço Nacional de Saúde, em concretizar o descongelamento na progressão das carreiras dos docentes e em priorizar, de uma vez por todas, o setor da Cultura em Portugal", concluiu.

Para André Silva, é necessária uma mudança mais profunda, de paradigma.

"De nada vale tentar solucionar as assimetrias entre regiões ou encontrar respostas do estado para solucionar os problemas da saúde, da educação, da pobreza, da violência e da intolerância, das desigualdades sociais e económicas, enquanto não fizermos a mudança de paradigma de como vivemos, produzimos, consumimos e gerimos os recursos comuns", disse.

NS // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

"O PS continua a ser muito permeável a conjunto de interesses"

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Partido Socialista "continua a ser muito permeável a conjunto de interesses que sempre moldaram a atuação" dos socialista e que isso se reflete na hora de votar.

Mariana Mortágua defende que a Caixa Geral de Depósitos devia financiar setores estratégicos para o país

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Governo, em coordenação com o Parlamento, deveria definir a estratégia de atividade da Caixa Geral de Depósitos para se "evitar financiar atividades especulativas de empresários aventureiros" e dar prioridade a financiar setores estratégicos para o país.

Ministra Marta Temido encabeça lista do PS pelo círculo de Coimbra

 A ministra da Saúde, Marta Temido, vai encabeçar a lista socialista pelo círculo eleitoral de Coimbra nas próximas eleições legislativas, disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS