Jornal Diário Jornal das 13

Parlamento aprova voto de pesar pela morte de Maria do Pilar Mourão-Ferreira

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 jul (Lusa) - O parlamento fez um minuto de silêncio e aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar apresentado pelo PS pela recente morte da antiga deputada socialista da Assembleia Constituinte Maria do Pilar Mourão-Ferreira.

Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1965, Maria do Pilar Mourão-Ferreira desempenhou as funções, entre agosto de 1976 a 1978, de chefe de gabinete dos secretários de Estado da Orientação Pedagógica e da Educação.

Maria do Pilar Mourão-Ferreira trabalhou depois na área da problemática da reabilitação e integração das pessoas com deficiência e pertenceu à antiga Comissão da Condição Feminina.

"De 1979 a 2004, foi assessora principal do Secretariado Nacional da Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência, assumindo as funções de direção do Gabinete de Assuntos Europeus e Relações Internacionais. Nestas qualidades, representou Portugal, entre outras iniciativas, no Conselho da Europa (onde presidiu a vários comités), na União Europeia e nas Nações Unidas", refere-se no voto do PS.

Segundo o PS, a antiga deputada constituinte esteve "sempre atenta aos problemas da sociedade, manteve ao longo da sua vida uma permanente intervenção política e cívica e uma participação relevante na vida cultural".

PMF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Ministro diz que Traje à Vianesa tem condições para ser candidato a património mundial

O ministro da Cultura afirmou este sábado, em Viana do Castelo, onde marcou presença no cortejo da Romaria d' Agonia, que o Traje à Vianesa "tem todas as condições" para integrar a lista indicativa de Portugal a Património Mundial.

Governo decreta dispensa de trabalhadores que sejam bombeiros nos distritos em alerta

O Governo determinou esta sexta-feira a dispensa de funcionários públicos e do setor privado que sejam ao mesmo tempo bombeiros nos distritos em alerta vermelho "face ao significativo agravamento do risco de incêndio florestal".

BE quer aproximar salários dos trabalhadores aos dos gestores

O Bloco de Esquerda (BE) quer diminuir a desigualdade salarial entre os gestores e os trabalhadores da mesma empresa em Portugal, avançando com um projeto de lei que abre a porta à fixação de rácios.

Atualizado 18-08-2018 11:50

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.