Info

Parlamento aprova voto de pesar pela morte de Maria do Pilar Mourão-Ferreira

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 jul (Lusa) - O parlamento fez um minuto de silêncio e aprovou hoje, por unanimidade, um voto de pesar apresentado pelo PS pela recente morte da antiga deputada socialista da Assembleia Constituinte Maria do Pilar Mourão-Ferreira.

Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1965, Maria do Pilar Mourão-Ferreira desempenhou as funções, entre agosto de 1976 a 1978, de chefe de gabinete dos secretários de Estado da Orientação Pedagógica e da Educação.

Maria do Pilar Mourão-Ferreira trabalhou depois na área da problemática da reabilitação e integração das pessoas com deficiência e pertenceu à antiga Comissão da Condição Feminina.

"De 1979 a 2004, foi assessora principal do Secretariado Nacional da Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência, assumindo as funções de direção do Gabinete de Assuntos Europeus e Relações Internacionais. Nestas qualidades, representou Portugal, entre outras iniciativas, no Conselho da Europa (onde presidiu a vários comités), na União Europeia e nas Nações Unidas", refere-se no voto do PS.

Segundo o PS, a antiga deputada constituinte esteve "sempre atenta aos problemas da sociedade, manteve ao longo da sua vida uma permanente intervenção política e cívica e uma participação relevante na vida cultural".

PMF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Tancos: Presidente da República garante desconhecer factos sobre reaparecimento das armas

O Presidente da República garantiu este sábado à Agência Lusa desconhecer os factos na base do desaparecimento e reaparecimento das armas de Tancos, recordando que tem insistido na exigência do esclarecimento de "toda a verdade, doa a quem doer".

Mário Centeno diz que eleitoralismo do PS foi cumprir todas as metas

O ministro das Finanças, Mário Centeno, considerou esta sexta-feira que o eleitoralismo do PS na proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) foi cumprir todas as metas e promessas, que se traduzem na estabilização do sistema financeiro português.

Tenente-general José Nunes da Fonseca novo chefe do Estado-Maior do Exército

O tenente-general José Nunes da Fonseca será o novo chefe do Estado-Maior do Exército, tendo o seu nome recebido parecer favorável por unanimidade do Conselho Superior do Exército, anunciou hoje o primeiro-ministro, António Costa, em Bruxelas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.