Jornal Diário Jornal das 13

NATO: Trump satisfeito com "aumento substancial" de despesa assumido pelos aliados

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 12 jul (Lusa) -- O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou-se hoje muito satisfeito com o compromisso assumido, em Bruxelas, pelos aliados dos Estados Unidos na NATO de aumentarem "substancialmente" as suas despesas militares, assumindo que na véspera foi "muito firme".

Numa conferência de imprensa no final de uma reunião de emergência dos 29 membros da aliança atlântica sobre os contributos financeiros, e questionado sobre uma hipotética ameaça de os Estados Unidos se retirarem da organização transatlântica, Trump disse que provavelmente o poderia fazer, "mas não é necessário", face à resposta dada pelos aliados, que aumentaram em 33 mil milhões de dólares as despesas desde o ano passado, montante que pode chegar aos 40 mil milhões.

"Ontem (quarta-feira, primeiro dia da cimeira), fiz-lhes saber que estava extremamente descontente. Hoje, fizemos progressos tremendos. Todos na sala concordaram pagar mais e pagar mais rapidamente, como nunca antes. A NATO está muito mais forte hoje do que há dois dias", disse.

Uma reunião extraordinária entre os chefes de Estado e de Governo da NATO foi convocada hoje de urgência em Bruxelas para debater o aumento das despesas militares dos aliados, indicaram fontes diplomáticas.

Donald Trump reiterou a necessidade de todos os aliados cumprirem a meta de consagrarem 2% do Produto Interno Bruto (PIB) a despesas em Defesa, uma meta estabelecida na cimeira do País de Gales para o prazo de uma década, considerando "injusto" os Estados Unidos assumirem "quase 90%" dos encargos da Aliança.

"Todas as nações da NATO têm de cumprir o compromisso de 2%, e têm obrigatoriamente de alcançar os 4%", voltou a defender num 'tweet', depois de já ter feito essa exigência na reunião de chefes de Estado e Governo da aliança atlântica na quarta-feira.

ACC/AMG/IG // FPA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Justiça alemã extradita Puigdemont, mas apenas por delito de peculato

O tribunal alemão de Schleswig-Holstein decidiu hoje extraditar para Espanha o ex-presidente catalão Carles Puigdemont por um alegado delito de peculato (desvio de fundos), mas não pelo crime de rebelião, segundo a agência Efe.

Tailândia: Todos os rapazes e treinador retirados da gruta

Todos os 12 jovens jogadores de futebol e o treinador que ficaram há duas semanas encurralados numa gruta no norte da Tailândia estão a salvo, segundo as autoridades tailandesas.

MNE britânico Boris Johnson demitiu-se

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, anunciou a sua demissão, confirmou fonte do governo, horas depois da demissão do ministro para o 'Brexit', David Davis.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.