Info

Detenção "política" de Stormy Daniels num clube de 'striptease', segundo o seu advogado

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 12 jul (Lusa) -- A atriz de filmes pornográficos Stormy Daniels, em litígio judicial com Donald Trump, foi detida na quarta-feira por um delito menor, uma detenção por "motivos políticos", segundo o seu advogado.

Stormy Daniels, que disse ter tido um caso com Donald Trump, o que este nega, foi detida num clube de 'striptease' de Ohio onde apresentava um espetáculo que já fez numa centena de clubes nos Estados Unidos, explicou o seu advogado, Michael Avenatti, na rede social Twitter.

O motivo da detenção é a atriz ter permitido que um cliente do clube a tocasse enquanto estava em cena.

"É um golpe montado por razões políticas. Isto mostra (que a outra parte) está desesperada. Vamos lutar contra estas acusações falsas", afirmou Avenatti, adiantando esperar que a artista seja libertada "em breve" sob fiança e que seja acusada de uma simples ofensa.

Stormy Daniels, cujo verdadeiro nome é Stephanie Clifford, tenta obter na justiça a anulação de um acordo assinado em 2016, com o qual conseguiu 130.000 dólares (111.300 euros) em troca do seu silencia sobre o caso que teria tido com Donald Trump em 2006.

O acordo foi assinado antes da eleição de Trump para a presidência dos Estados Unidos e foi o advogado pessoal do então empresário, Michael Cohen, que entregou o dinheiro.

A atriz pede agora a anulação do acordo, que não considera válido dado não ter sido assinado por Trump.

Michael Cohen afirmou ter pago do seu bolso os 130.000 dólares e não ter sido reembolsado por Trump, mas este reconheceu ter pago o dinheiro ao seu advogado, embora negue a relação com Daniels.

PAL // PJA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Surto de sarampo nas Filipinas escala para 8.400 casos e 130 mortos

O surto de sarampo continua a agravar-se nas Filipinas, com 8.443 casos confirmados desde o início do ano e 136 mortes causadas pela doença, na maioria crianças menores de cinco anos, indicaram esta terça-feira as autoridades.

Dezasseis estados em tribunal contra emergência declarada por Trump para construir muro

Dezasseis estados norte-americanos avançaram na segunda-feira com uma ação judicial contra a administração do Presidente Donald Trump, na sequência da declaração do estado de emergência para construir um muro na fronteira mexicana.

Português detido por homicídio nos Estados Unidos vai a tribunal a 13 de março

O luso-venezuelano Javier Enrique Da Silva Rojas, detido nos Estados Unidos por furto e homicídio, vai apresentar-se num tribunal em Nova Iorque para uma audiência preliminar a 13 de março, segundo documentos a que a Lusa teve acesso este domingo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.