Info

NATO: Reunião de emergência dos 29 para debater investimento em Defesa

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 12 jul (Lusa) -- Uma reunião extraordinária entre os chefes de Estado e de Governo da NATO foi convocada de urgência em Bruxelas para debater o aumento das despesas militares dos Aliados, indicaram hoje fontes diplomáticas.

De acordo com aquelas fontes, citadas pelas agências France Presse e EFE, a sessão de trabalhos com os líderes da Geórgia e da Ucrânia foi suspensa pelo secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, para que os chefes de Estado e de Governo dos 29 pudessem voltar a discutir o aumento do investimento em Defesa.

Hoje de manhã, Donald Trump reiterou a necessidade de todos os aliados cumprirem a meta de consagrarem 2% do Produto Interno Bruto (PIB) a despesas em Defesa, uma meta estabelecida na cimeira do País de Gales para o prazo de uma década.

"Todas as nações da NATO têm de cumprir o compromisso de 2%, e têm obrigatoriamente de alcançar os 4%", voltou a defender num 'tweet', depois de já ter feito essa exigência na reunião de chefes de Estado e Governo da Aliança Atlântica na quarta-feira.

AMG/ACC/IG // FPA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Surto de sarampo nas Filipinas escala para 8.400 casos e 130 mortos

O surto de sarampo continua a agravar-se nas Filipinas, com 8.443 casos confirmados desde o início do ano e 136 mortes causadas pela doença, na maioria crianças menores de cinco anos, indicaram esta terça-feira as autoridades.

Dezasseis estados em tribunal contra emergência declarada por Trump para construir muro

Dezasseis estados norte-americanos avançaram na segunda-feira com uma ação judicial contra a administração do Presidente Donald Trump, na sequência da declaração do estado de emergência para construir um muro na fronteira mexicana.

Português detido por homicídio nos Estados Unidos vai a tribunal a 13 de março

O luso-venezuelano Javier Enrique Da Silva Rojas, detido nos Estados Unidos por furto e homicídio, vai apresentar-se num tribunal em Nova Iorque para uma audiência preliminar a 13 de março, segundo documentos a que a Lusa teve acesso este domingo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.