Jornal Diário Jornal das 13

Face Oculta: Armando Vara vai reclamar da decisão do Constitucional

| País
Porto Canal com Lusa

Aveiro, 11 jul (Lusa) - O antigo ministro Armando Vara vai reclamar da decisão do Tribunal Constitucional (TC) que rejeitou o recurso da sua condenação a cinco anos de prisão efetiva, no âmbito do processo Face Oculta, disse hoje o seu advogado.

Em declarações à agência Lusa, o advogado Tiago Rodrigues Bastos confirmou que "vai apresentar uma reclamação" para a conferência de juízes do TC, evitando assim que o ex-ministro comece já a cumprir a pena.

Numa decisão sumária, com data de 10 de julho de 2018, o TC decidiu "não conhecer do objeto" do recurso interposto por Armando Vara.

Na decisão, a relatora conselheira Fátima Mata-Mouros analisou várias questões de inconstitucionalidade suscitadas pelo arguido, incluindo questões relacionadas com a utilização e destruição das escutas em que terá intervido o então primeiro ministro José Sócrates.

JYDN // ARA

Lusa/Fim

+ notícias: País

Greve do enfermeiros com adesão nacional entre 75% e 80%

A adesão à greve dos enfermeiros situa-se, hoje de manhã, entre os 75% e os 80%, segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, que admite aumentar os números depois de apurados os dados de algumas grandes instituições.

Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga recebe primeiro Centro de Responsabilidade Integrada

Começou esta quarta-feira a funcionar o primeiro Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) do Serviço Nacional de Saúde. Fica instalado no Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga, em Santa Maria da Feira. O novo modelo promete reorganizar internamente os hospitais do SNS para responder melhor às necessidades dos doentes e diminuir as listas de espera.

Associações dos taxistas estimam que 30 mil postos de trabalho estejam em risco

A entrada em vigor da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros coloca em risco 30 mil postos de trabalho no setor do táxi, avançaram hoje as associações que representam os taxistas, exigindo “concorrência leal”.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.