Jornal Diário Jornal das 13

Face Oculta: Armando Vara vai reclamar da decisão do Constitucional

| País
Porto Canal com Lusa

Aveiro, 11 jul (Lusa) - O antigo ministro Armando Vara vai reclamar da decisão do Tribunal Constitucional (TC) que rejeitou o recurso da sua condenação a cinco anos de prisão efetiva, no âmbito do processo Face Oculta, disse hoje o seu advogado.

Em declarações à agência Lusa, o advogado Tiago Rodrigues Bastos confirmou que "vai apresentar uma reclamação" para a conferência de juízes do TC, evitando assim que o ex-ministro comece já a cumprir a pena.

Numa decisão sumária, com data de 10 de julho de 2018, o TC decidiu "não conhecer do objeto" do recurso interposto por Armando Vara.

Na decisão, a relatora conselheira Fátima Mata-Mouros analisou várias questões de inconstitucionalidade suscitadas pelo arguido, incluindo questões relacionadas com a utilização e destruição das escutas em que terá intervido o então primeiro ministro José Sócrates.

JYDN // ARA

Lusa/Fim

+ notícias: País

Tribunal aplica prisão preventiva para 39 arguidos dos Hells Angels

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa determinou hoje prisão preventiva para 39 dos 58 arguidos como medidas de coação no âmbito do processo do grupo de motociclistas Hells Angels e apresentações periódicas às autoridades para os restantes.

Cerca de 62% dos serviços públicos não cumprem a lei do livro de reclamações eletrónico

A maioria dos sites dos serviços públicos essenciais não cumprem a lei sobre o livro de reclamações eletrónico. Um ano depois da entrada em vigor da legislação , a DECO analisou 392 sites e verificou que mais de metade não tem livro de reclamações eletrónico.

Quase um milhão de refeições escolares desperdiçadas

Quase um milhão de refeições escolares que tinham sido encomendadas foram desperdiçadas porque os alunos faltaram, revela o relatório anual do ministério da Educação sobre cantinas concessionadas a privados.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.