Jornal Diário Jornal das 13

À espera de contas certas, negociações com professores seguem "dentro de momentos"

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 jul (Lusa) -- Governo e sindicatos de professores vão analisar os custos reais da recuperação do tempo de serviço congelado, criando para o efeito uma comissão técnica cuja primeira reunião decorre na próxima semana, remetendo a continuidade das negociações para setembro.

Esta foi a principal novidade saída hoje de uma reunião entre sindicatos de professores e Governo, com toda a equipa do Ministério da Educação e dois secretários de Estado das Finanças para discutir a recuperação do tempo de serviço congelado na carreira docente, a primeira do reatar de negociações.

"O Governo veio dizer que finalmente aceita que se crie uma comissão técnica para apurar quanto custa afinal o descongelamento", disse Mário Nogueira, num palanque montado frente ao Ministério da Educação (ME), perante cerca de um milhar de professores que ali se manifestou enquanto decorria a reunião.

IMA // JMR

Lusa/fim

+ notícias: País

Greve do enfermeiros com adesão nacional entre 75% e 80%

A adesão à greve dos enfermeiros situa-se, hoje de manhã, entre os 75% e os 80%, segundo o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, que admite aumentar os números depois de apurados os dados de algumas grandes instituições.

Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga recebe primeiro Centro de Responsabilidade Integrada

Começou esta quarta-feira a funcionar o primeiro Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) do Serviço Nacional de Saúde. Fica instalado no Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga, em Santa Maria da Feira. O novo modelo promete reorganizar internamente os hospitais do SNS para responder melhor às necessidades dos doentes e diminuir as listas de espera.

Associações dos taxistas estimam que 30 mil postos de trabalho estejam em risco

A entrada em vigor da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros coloca em risco 30 mil postos de trabalho no setor do táxi, avançaram hoje as associações que representam os taxistas, exigindo “concorrência leal”.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.