Jornal Diário Jornal das 13

Cunhado do rei de Espanha apresenta-se na prisão para cumprir pena

| Mundo
Porto Canal com Lusa

O cunhado do rei de Espanha, Iñaki Urdangarin, ingressou esta segunda-feira de manhã na prisão de Brieva, informou fonte dos serviços prisionais espanhóis às agências de notícias EFE e France-Presse.

O marido da Infanta Cristina, tinha sido condenado pelo Supremo Tribunal a cinco anos e dez meses de prisão por desvio de fundos, na sequência de uma investigação ao caso Noós.

A prisão de Brieva fica localizada a 108 quilómetros a norte de Madrid.

Segundo a justiça espanhola, o marido da infanta Cristina, irmã de Felipe VI, utilizou as suas ligações à família real para ganhar concursos públicos para organizar, entre outros, eventos desportivos, tendo em seguida desviado fundos para a Aizoon, uma empresa que geria em conjunto com esposa e utilizava para financiar o seu estilo de vida luxuoso.

A Casa Real espanhola reafirmou na terça-feira o seu "respeito absoluto pela independência do poder judicial", depois de ter tomado conhecimento da decisão do Supremo Tribunal.

Desde o início do reinado de Felipe VI que a Casa Real tem manifestando o seu respeito pela independência dos tribunais em todas as fases do processo judicial Nóos.

O Supremo Tribunal espanhol também reduziu a quantia que a magistratura de Palma de Maiorca tinha imposto à infanta Cristina, pela sua responsabilidade civil a título lucrativo no caso Nóos, de 265.088 euros para 136.950 euros.

Inaki Urdangarin tinha sido inicialmente condenado a seis anos e três meses de prisão e ao pagamento de uma multa de 512.553 euros por enriquecimento com dinheiros públicos através de um esquema fraudulento feito pelo Instituto Nóos, que fundou e dirigiu entre 2004 e 2006.

A decisão do juiz foi conhecida 11 anos depois do início do caso, quando um deputado socialista pediu explicações pelos custos elevados de um fórum sobre turismo e desporto organizado por Iñaki Urdangarin para o Governo Regional das Ilhas Baleares.

+ notícias: Mundo

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.