Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Levantados 2.500 autos por falta de limpeza de mato

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 jun (Lusa) -- O secretário de Estado da Proteção Civil anunciou hoje, no parlamento, que foram levantados, até à data, 2.500 autos de contraordenação devido à falta de limpeza de mato por parte dos particulares e empresas.

"No que diz respeito às ações de fiscalização do cumprimento do sistema nacional de defesa da floresta contra incêndios, até esta data, foram levantados 2.500 autos", disse José Neves aos deputados da Comissão de Agricultura e Mar.

Segundo o secretário de Estado, os 2.500 autos correspondem a infrações na gestão das faixas de combustível florestal, nomeadamente a limpeza de mato por parte de particulares e de empresas.

O governante avançou que 142 autos foram levantados na rede viária, 11 na rede ferroviária, 52 na rede elétrica, 1160 na envolvente de 50 metros das habitações e 515 na envolvente de 100 metros dos aglomerados populacionais.

O secretário de Estado apresenta na Comissão de Agricultura e Mar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) deste ano.

CMP // JMR

Lusa/fim

+ notícias: Política

CDU/Porto defende "medidas de emergência" para realojar famílias despejadas

A CDU/Porto defendeu este domingo a criação de “medidas de emergência” para realojar moradores despejados, desafiando o presidente da Câmara, Rui Moreira, a ser agora tão proativo como já foi em relação a outras matérias, como o Infarmed.

António Costa salienta que acordo de concertação cumpre Programa do Governo

O primeiro-ministro considerou esta segunda-feira que o acordo de concertação social alcançado em matérias como o combate à precariedade e a negociação coletiva cumpre o Programa do Governo, classificando-o como essencial para a estabilidade profissional dos mais jovens.

Atualizado 19-06-2018 12:13

António Costa diz que é preciso que o país se habitue a não aguardar por tragédias

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou este domingo que o país tem de se habituar "a não aguardar pelas tragédias" para dar importância àquilo que é estrutural, elegendo a floresta e o interior como prioridades.

Atualizado 18-06-2018 13:54

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.