Info

Euro cai face ao dólar após decisões do BCE

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 jun (Lusa) - O euro caiu hoje face ao dólar, anulando quase 10 dias de ganhos ligeiros, após o Banco Central Europeu (BCE) ter indicado que as taxas de juro se mantêm nos atuais níveis mínimos até ao verão de 2019.

Cerca das 17:50 (hora de Lisboa), o euro seguia a 1,1633 dólares, quando na quarta-feira ao final da tarde negociava a 1,1781 dólares.

O euro também recuou face ao iene, enquanto o dólar se manteve estável em relação à moeda japonesa.

O banco central deixou hoje as taxas de juro inalteradas e anunciou que espera mantê-las nos níveis atuais pelo menos até ao verão de 2019 ou o tempo necessário para assegurar uma evolução da inflação em conformidade com o pretendido pelo BCE (perto de 2%).

A principal taxa de refinanciamento mantém-se em 0% e as taxas de juro aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito continuam em 0,25% e -0,40%, respetivamente.

O banco central também indicou que vai reduzir a partir de setembro as aquisições de dívida, terminando o programa de compra de ativos no fim do ano.

Divisas..........hoje................quarta-feira

Euro/dólar......1,1633.................... 1,1781

Euro/libra......0,87465.................. 0,88167

Euro/iene.......128,49.................... 130,17

Dólar/iene......110,46.................... 110,49

EO // MSF

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Portugal com 2º maior excedente orçamental no 3º trimestre

Portugal registou o segundo maior excedente nas contas públicas (3,6% do PIB) na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018 e a maior subida face ao período anterior (6,4 pontos), segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.