Info

Greve prejudicou sobretudo comboios urbanos de Lisboa

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 jun (Lusa) -- Mais de metade dos comboios previstos até às 14:00 de hoje foram suprimidos devido à greve dos trabalhadores da CP, afetando sobretudo os comboios urbanos de Lisboa, informou hoje uma fonte da transportadora.

De acordo com a mesma fonte, entre as 00:00 e as 14:00 estavam previstos 426 comboios, tendo-se realizado 209.

Os mais afetados pela greve foram os comboios urbanos de Lisboa, estando prevista a realização de 184 e tendo-se realizado apenas 58.

Dos 37 comboios de longo curso previstos realizaram-se 26 e dos 205 regionais previstos foram realizados 125, segundo a empresa.

Pelo seu lado, o presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) garantiu hoje que "foi total" a adesão dos trabalhadores à greve da CP e empresas de transporte de mercadorias.

Em declarações à agência Lusa, Luís Bravo afirmou que a "adesão foi total", com exceção dos trabalhadores escalados para os serviços mínimos de uma "luta relacionada com a segurança da circulação, dos utentes e dos postos de trabalho".

A paralisação - a segunda este mês - está relacionada com "questão do agente único" (revisor), e, desta vez, abrange os trabalhadores com local de trabalho entre Coimbra e Vila Real de Santo António.

"A luta vai continuar nos dias 23 e 24" de junho a norte de Coimbra, garantiu ainda o dirigente.

RCS (PL) // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

Retenção na fonte de salários médios ainda não reflete totalmente mudança no IRS

As tabelas de retenção na fonte para 2019 vão aumentar o rendimento líquido de maioria dos contribuintes, mas não refletem ainda integralmente o efeito da reorganização dos escalões do IRS e descida de taxas observado em 2018, segundo a consultora Deloitte.

Preço das casas sobe 4,3% na zona euro no 3.º trimestre e em Portugal quase o dobro

O preço homólogo das casas aumentou 4,3% tanto na zona euro quanto na União Europeia (UE) no terceiro trimestre de 2018, com Portugal a registar uma subida de quase o dobro da média (8,5%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.