Jornal Diário Jornal das 13

Sindicato garante "adesão total" dos trabalhadores ferroviários à greve

Sindicato garante "adesão total" dos trabalhadores ferroviários à greve
| Economia
Porto Canal com Lusa

O presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) garantiu esta quarta-feira que "foi total" a adesão dos trabalhadores à greve da CP e empresas de transporte de mercadorias e reafirmou a paralisação para os dias 23 e 24.

Em declarações à agência Lusa, Luís Bravo afirmou que a "adesão foi total", com exceção dos trabalhadores escalados para os serviços mínimos de uma "luta relacionada com a segurança da circulação, dos utentes e dos postos de trabalho".

Segundo o dirigente sindical, os trabalhadores estão preocupados com o futuro, no âmbito das "concessões do transporte ferroviário do próximo ano" e sobre o qual o Governo "não pôs nada preto no branco".

Questionado sobre as garantias da CP de que seguirão sempre dois agentes nos comboios, Luís Bravo argumentou que os "trabalhadores não podem estar sujeitos a livre arbítrio de um decisor que foi nomeado politicamente e que hoje diz uma coisa e amanhã outra".

"A luta vai continuar nos dias 23 e 24" de junho a norte de Coimbra, garantiu ainda o dirigente, que respondeu terem ocorrido apenas "conversas informais e nada de concreto" numa discussão que remonta a 2016 e que levou atualmente a greves porque nos regulamentos das empresas submetidas ao regulador (Instituto da Mobilidade e dos Transportes) "não estão as garantias preto no branco".

A agência Lusa contactou a CP e aguarda o balanço da empresa.

Na terça-feira, a empresa de transporte de passageiros adiantou que mais de metade dos comboios programados foram suprimidos devido à greve, que terminou hoje às 12:00, e abrangeu os trabalhadores com posto de trabalho de Coimbra a Vila Real de Santo António.

Em comunicado, a CP adiantou que tinha programados 680 comboios, tendo sido suprimidos 342, o que significa que foram cancelados 50,3% e realizados 49,7%.

Por serviços, o maior impacto foi no serviço urbano de Lisboa, em que a maior parte dos comboios foi cancelada, tendo sido realizados 41% dos comboios programados.

Já nos serviços regional e de longo curso a maior parte dos comboios realizaram-se.

No serviço Regional foram efetuados 58,1% dos comboios programados e no serviço de longo curso 81,8% dos comboios programados.

O presidente da CP, Carlos Nogueira, estimou já que esta greve deverá ter um impacto de 700 mil euros, quando a anterior, no passado dia 04, provocou uma perda de receitas de 1,3 milhões de euros.

+ notícias: Economia

Taxistas insistem que mantêm protesto até serem recebidos pelo Governo

Os taxistas continuam este sábado parados, pelo quarto dia consecutivo, e determinados a manter o seu protesto até serem recebidos pelo Governo, disse hoje Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros de Passageiros (ANTRAL).

Centeno diz que será cumprido défice de 0,7% do PIB este ano

O ministro das Finanças disse hoje que será cumprido este ano o défice previsto de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB), uma vez que não se repetirão os efeitos que penalizaram o saldo das contas públicas no primeiro semestre.

UGT aprova hoje reivindicações para 2019, com aumentos entre os 3 e os 4%

A UGT volta hoje à atividade sindical com a aprovação da política de rendimentos para 2019, que deverá incluir um aumento dos salários entre os 3 e os 4% e outras medidas para melhorar o rendimento das famílias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.