Jornal Diário Jornal das 13

Empresas públicas e Estado português demoram 86 dias a pagar faturas

Empresas públicas e Estado português demoram 86 dias a pagar faturas
| Economia
Porto Canal com Lusa

O setor público em Portugal demora uma média de 86 dias a pagar faturas, essencialmente devido à "situação financeira", sendo um dos países europeus com maiores atrasos, ficando apenas à frente de Itália, segundo um relatório conhecido esta terça-feira.

O European Payment Report 2018, um relatório anual que analisa o comportamento de pagamentos das empresas e do Estado, concluiu que Portugal é "um dos dois países europeus onde os atrasos de pagamento no setor público são mais dilatados".

"O setor público em Portugal demora 86 dias a efetuar os seus pagamentos, sendo ultrapassado apenas pela Itália, com 104 dias", precisa a empresa de gestão de créditos Intrum, em comunicado sobre os resultados do estudo.

Questionados sobre os motivos dos atrasos nos pagamentos, 72% dos inquiridos nacionais apontam a "situação financeira dos seus clientes como o principal motivo, uma percentagem igualmente superior à média europeia de 62%".

"Segue-se o atraso de pagamento intencional, referido por 59% das empresas que responderam ao inquérito, valor também superior à média europeia que se situa nos 48%", indica a empresa.

Acrescem causas como a "ineficiência administrativa dos clientes", "um motivo que teve um crescimento significativo em Portugal, passando dos 49% em 2017, para 55% em 2018, valor também superior à média europeia que se situa nos 45%".

"A ineficiência administrativa poderá estar relacionada com a falta de contratação de mais trabalhadores nas empresas e a existência de procedimentos adequados", observa a Intrum.

Ao todo, foram inquiridas 9.607 empresas de 29 países europeus entre janeiro e março de 2018.

Destes, só oito países cumprem a diretiva europeia e pagam a menos de 30 dias aos seus fornecedores, entre os quais a Eslováquia (29 dias), Noruega (26), República Checa, Estónia, Dinamarca e Finlândia (25), Reino Unido (23) e a Letónia (18 dias).

"A média europeia de pagamentos no setor público continua a ser elevada, situando-se nos 40 dias e descendo apenas um dia face ao período homólogo de 2017, que era de 41 dias", nota a empresa que realizou o estudo.

Citado pela nota, o diretor-geral da Intrum Portugal, Luís Salvaterra, realça que, ainda assim, "este ano já se verificou uma diminuição desse prazo [no país], passando de 95 dias em 2017 para 86 dias em 2018".

"E, comparando os últimos cinco anos, Portugal tem revelado uma evolução positiva", adianta.

+ notícias: Economia

Uma em cada cinco livrarias da base de dados do Ministério da Cultura já não existe

Uma em cada cinco livrarias da base de dados do Ministério da Cultura sobre a rede livreira nacional já não existe e, das restantes, a tutela só tem conhecimento de um terço que cumpre os requisitos para ser livraria.

Desconvocada greve dos trabalhadores que fazem manutenção dos Alfa Pendular

A greve dos trabalhadores da Unidade de Manutenção de Alta Velocidade (UMAV) da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF) ao trabalho extraordinário, que começava este sábado, foi desconvocada após o anúncio de recrutamento de nove eletromecânicos.

Não param de aumentar os registos de alojamento local

Tem aumentado exponencialmente o número de registos de alojamento local em Portugal. Os proprietários estão a aproveitar enquanto a nova lei não entra em vigor. Com as novas regras, as autarquias passam a ter mais poderes e podem inclusive criar zonas nas cidades sem este tipo de alojamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.