Jornal Diário Jornal das 13

PSD quer que Governo tire da gaveta os estudos e dê prioridade à linha do Douro

PSD quer que Governo tire da gaveta os estudos e dê prioridade à linha do Douro
| Política
Porto Canal com Lusa

O PSD quer que o Governo aprofunde os estudos sobre viabilidade, potencial e modernização da linha do Douro e ainda sobre a reposição da ligação à rede ferroviária espanhola, invertendo o “veto de gaveta” dado a este dossiê.

Nesse sentido, deputados eleitos pelos distritos de Bragança, Guarda, Porto, Viseu e Vila Real vão entregar na Assembleia da República, em princípio ainda esta semana, um projeto de resolução sobre a linha ferroviária do Douro.

“Esta recomendação visa, essencialmente, garantir que o Governo não vai continuar a fazer um veto de gaveta a todos os estudos que têm sido feitos e vai assumir com toda a frontalidade a análise desta questão”, afirmou hoje à agência Lusa o deputado Luís Leite Ramos, eleito pelo distrito de Vila Real.

O parlamentar sublinhou “o potencial” da linha ferroviária do Douro, atualmente ativa entre o Porto e Pocinho, e considerou que a modernização e reativação da ligação a Espanha é uma matéria que “tem sido desvalorizada pelo Governo”.

O PSD quer que o Governo promova, com “rigor e independência”, o “aprofundamento dos estudos já realizados sobre a viabilidade da requalificação e da reativação da linha do Douro” e defende ainda a inscrição do projeto de requalificação e reativação desta linha “na lista das prioridades” da Estratégia Portugal 2030 para o próximo ciclo de programação comunitária.

A Infraestruturas de Portugal (IP) realizou, em 2016, um estudo sobre a viabilidade de requalificação e o potencial de desenvolvimento da linha do Douro que, para o deputado, “demonstra que esta linha é o itinerário ferroviário lógico de integração funcional da Área Metropolitana do Porto, e de toda a região Norte, com a Península Ibérica e a Europa além-Pirenéus”.

Luís Leite Ramos considerou ainda que o documento “desmistifica a tese absurda de uma alegada inadequação técnica da linha do Douro no tocante à circulação de pesadas composições de mercadorias” e atribui a esta ligação um “papel catalisador do desenvolvimento regional e, em particular, do turismo, uma vez que liga vários sítios classificados como património mundial”.

O estudo demonstra também “que o cenário mais caro de reabilitação da linha do Douro, orçamentado em cerca de 473 milhões de euros, é consideravelmente inferior a outras alternativas e custa menos do que quatro estações do Metropolitano de Lisboa”.

Segundo o PSD, o potencial de desenvolvimento da linha do Douro foi ainda reconhecido num estudo da Comissão Europeia, recentemente divulgado.

O documento identifica 365 ligações ferroviárias transfronteiriças em toda a União Europeia e seleciona os 48 projetos mais promissores e com maior potencial de reativação, entre os quais se inclui a linha do Douro, entre o Pocinho - Barca de Alva (Portugal) e Fregeneda - Salamanca (Espanha), sendo o custo da sua requalificação estimado em cerca de 578 milhões de euros.

“Há aspetos que ainda precisam de ser afinados e o que pretendemos é que, de uma vez por todas, se possam tirar dúvidas sobre o potencial, oportunidade, valia económica, interesse regional e nacional da linha do Douro”, sublinhou Luís Leite Ramos.

Para chamar a atenção para este dossiê e garantir apoios e contributos, os deputados estão a realizar várias reuniões com instituições e agentes ligados à região, como a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), as comunidades intermunicipais do Douro, de Trás-os-Montes e do Tâmega e Sousa, bem como a Área Metropolitana do Porto ou a Associação Empresarial de Portugal.

+ notícias: Política

Governo autoriza arranque da terceira fase de obras no hospital de Gaia

O Governo autorizou o arranque da terceira fase de obras no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), indicou esta terça-feira a câmara de Vila Nova de Gaia após uma reunião com o Ministério da Saúde.

36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado

Há 36 Câmaras Municipais que não têm o Plano Municipal Contra Incêndios atualizado. A norma foi introduzida no Orçamento do Estado de 2018 e previa uma penalização até 20% para os municípios, que acabou por não acontecer. As autarquias garantem que não há motivos para alarme.

Concelhia do PSD/Porto acusa Rui Moreira de tentar "enganar a cidade" no caso Montebelo

O PSD do Porto acusa o movimento de Rui Moreira de tentar “enganar a cidade” e “ludibriar os portuenses” no caso Montebelo, recusando que aquela obra na Foz Velha tenha sido licenciada nos termos atuais nos mandatos de Rui Rio.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.