Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Inquérito/Energia: PSD quer ouvir Costa e Centeno entre mais de 60 personalidades

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 jun (Lusa) - O PSD quer ouvir mais de 60 personalidades na comissão de inquérito às rendas da energia, entre as quais todos os primeiros-ministros entre 2004 e 2018, incluindo o atual, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno.

No requerimento das audições, a que a agência Lusa teve acesso, no âmbito da comissão parlamentar de inquérito, proposta pelo BE, ao pagamento de rendas excessivas aos produtores elétricos, o PSD requer ainda o depoimento de 15 empresas e entidades.

A encabeçar o requerimento surgem "todos os primeiros-ministros que exerceram funções no período objeto desta comissão", que foi fixado entre 2004 e 2018, querendo assim o PSD ouvir Durão Barroso, Pedro Santana Lopes, José Sócrates, Pedro Passos Coelho e António Costa.

Os sociais-democratas pretendem ainda que prestem depoimento na comissão de inquérito "todos os ministros com a tutela da área da Energia que exerceram funções no período objeto desta comissão", incluindo, entre outros, o antigo titular da pasta Manuel Pinho e o atual, Manuel Caldeira Cabral.

O atual responsável pelas Finanças, Mário Centeno, é outra das personalidades que o PSD quer chamar.

Armando Vara é o nome que surge em primeiro lugar na alínea do requerimento referente a "presidentes dos Bancos, ou seus representantes em Portugal no caso de se tratar de algum banco estrangeiro, que participaram nas operações das várias fases de privatização da EDP e os administradores responsáveis de concessão de crédito aos projetos de energias renováveis de maior dimensão que exerceram funções no período objeto desta comissão".

JF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Lançamento de balões no São João dependentes das condições meteorológicas

A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural disse esta quarta-feira à Lusa que está a acompanhar a evolução das condições meteorológicas “diariamente” e que o período crítico de incêndios pode ser “antecipado ou prorrogado” em função dessas condições.

Assunção Cristas critica renda acessível e é acusada por António Costa de ter causado "calamidade social"

A presidente do CDS-PP questionou esta quarta-feira o primeiro-ministro sobre os preços praticados na "renda acessível" e foi acusada por António Costa de ter provocado consistentemente, apesar dos avisos, uma "calamidade social" com a lei do arrendamento.

Câmara Municipal do Porto decide fazer debate sobre problemas da habitação na cidade

A Câmara Municipal do Porto vai fazer um grande debate sobre os problemas da habitação na cidade com o objetivo de partilhar ideias e encontrar soluções. A iniciativa partiu de Manuel Pizarro mas foi acolhida por todo o executivo camarário.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.