Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece os "muitos Portugais" que não podem ser discriminados

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece os "muitos Portugais" que não podem ser discriminados
| Política
Porto Canal com Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, teceu este domingo elogios aos "muitos Portugais" que garantem "riqueza" ao país e frisou que não pode ser tolerada discriminação nesta diversidade identitária.

No discurso do 10 de Junho, nos Açores, o chefe de Estado valorizou "um só Portugal" que existe, mas que é "feito de muitos Portugais, que podem e devem ser diversos".

"Não toleraremos que [os vários Portugais] sejam discriminados naquilo que de essencial assinala o estatuto da nossa cidadania cívica, económica, social e cultural", sublinhou.

As comemorações do Dia de Portugal, que se iniciaram no sábado, continuam hoje em Ponta Delgada, nos Açores, estendendo-se a Boston e Providence, nos Estados Unidos da América, ao final do dia.

A habitual Cerimónia Militar, que decorreu no centro da maior cidade açoriana, contou com a participação de mais de mil militares dos três ramos das Forças Armadas.

O Presidente da República e o primeiro-ministro, António Costa, partem esta tarde para os Estados Unidos da América.

+ notícias: Política

CDU/Porto defende "medidas de emergência" para realojar famílias despejadas

A CDU/Porto defendeu este domingo a criação de “medidas de emergência” para realojar moradores despejados, desafiando o presidente da Câmara, Rui Moreira, a ser agora tão proativo como já foi em relação a outras matérias, como o Infarmed.

António Costa salienta que acordo de concertação cumpre Programa do Governo

O primeiro-ministro considerou esta segunda-feira que o acordo de concertação social alcançado em matérias como o combate à precariedade e a negociação coletiva cumpre o Programa do Governo, classificando-o como essencial para a estabilidade profissional dos mais jovens.

Atualizado 19-06-2018 12:13

António Costa diz que é preciso que o país se habitue a não aguardar por tragédias

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou este domingo que o país tem de se habituar "a não aguardar pelas tragédias" para dar importância àquilo que é estrutural, elegendo a floresta e o interior como prioridades.

Atualizado 18-06-2018 13:54

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.