Info

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece os "muitos Portugais" que não podem ser discriminados

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece os "muitos Portugais" que não podem ser discriminados
| Política
Porto Canal com Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, teceu este domingo elogios aos "muitos Portugais" que garantem "riqueza" ao país e frisou que não pode ser tolerada discriminação nesta diversidade identitária.

No discurso do 10 de Junho, nos Açores, o chefe de Estado valorizou "um só Portugal" que existe, mas que é "feito de muitos Portugais, que podem e devem ser diversos".

"Não toleraremos que [os vários Portugais] sejam discriminados naquilo que de essencial assinala o estatuto da nossa cidadania cívica, económica, social e cultural", sublinhou.

As comemorações do Dia de Portugal, que se iniciaram no sábado, continuam hoje em Ponta Delgada, nos Açores, estendendo-se a Boston e Providence, nos Estados Unidos da América, ao final do dia.

A habitual Cerimónia Militar, que decorreu no centro da maior cidade açoriana, contou com a participação de mais de mil militares dos três ramos das Forças Armadas.

O Presidente da República e o primeiro-ministro, António Costa, partem esta tarde para os Estados Unidos da América.

+ notícias: Política

Presidente da República preocupado com aumento da mortalidade infantil

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, mostrou-se esta segunda-feira preocupado com o aumento da mortalidade infantil, defendendo que é preciso apurar as causas para que "não se volte a repetir no futuro".

Atualizado 22-01-2019 11:13

Catarina Martins enaltece passes mais baratos e pede mais transportes

A coordenadora do BE, Catarina Martins, elogiou este domingo a medida orçamental negociada com o Governo para a descida do preço dos passes de transportes públicos, mas defendeu que deve ser acompanhada de mais investimento para haver mais meios disponíveis.

Assunção Cristas lamenta desinteresse de Costa por setor da saúde "em rutura"

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, lamentou este sábado e o desinteresse do chefe do Governo pelo setor da saúde, descrevendo-o como "em rutura" devido à "austeridade escondida", numa conferência sobre o tema organizada pelo partido na sede de Lisboa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.